Tecnologia: MRV Engenharia realiza primeira venda de imóvel 100% digital

Tecnologia: MRV Engenharia realiza primeira venda de imóvel 100% digital

Da busca pelo imóvel à assinatura dos contratos, tudo foi feito virtualmente

18/02/2020
Por Luiza Bellintani

No final de janeiro, a MRV Engenharia realizou a primeira venda 100% digital de um imóvel, a partir da plataforma recém desenvolvida para esse fim. A partir dessa tecnologia, é possível realizar todo o processo de venda de forma online: escolha do imóvel, análise de crédito do comprador, visita ao apartamento, envio de documentação e assinatura de contratos.

Segundo release divulgado pela MRV sobre a plataforma, ela vinha sendo desenvolvida há cerca de um ano e envolveu o trabalho de mais de 100 profissionais. O principal objetivo desse projeto é construir uma solução para que o sonho de conquistar a casa própria seja mais simples e ágil para os compradores.

A ferramenta, criada em PWA (progressive web app), uma nova metodologia de desenvolvimento de software, utiliza o próprio endereço da web da MRV Engenharia. A plataforma reúne alguns tipos de tecnologia para sua composição, como inteligência artificial, chatbots, RPA (robotic process automation) e visão computacional.

O cliente pode acessar o programa tanto pelo computador quanto pelo smartphone ou tablet, o que torna ainda mais prática e acessível a procura pela unidade. Uma vez que todas as etapas da compra são feitas online, a plataforma é muito mais que um instrumento de busca de imóveis disponíveis para venda.

Em entrevista à Smartus, o diretor de Tecnologia da Informação da construtora MRV, Reinaldo Sima, ilustrou que a inteligência artificial incorporada nessa tecnologia consegue, por exemplo, filtrar unidades que se adequem perfeitamente ao perfil de pagamento do usuário. Depois disso, ele já é encaminhado para a possibilidade de aquisição daquele imóvel na própria ferramenta.

“Quando o cliente chega a uma unidade com o preço ideal, ele já segue para a etapa de compra e assinatura dos documentos. Quando falamos em venda digital, é isso: desde a parte do cliente encontrar a unidade que ele gosta, a parte em que ele simula a melhor condição para pagar e financia o imóvel, até o momento em que ele assina digitalmente o contrato”, comenta Sima.

Ainda, a plataforma possibilita três modos de operação: processo de compra 100% self-service, ou seja, inteiramente autônoma e digital; início da experiência online e depois física, ou vice-versa; compras online e remotas com a ajuda de algum profissional capacitado para instruir o cliente no processo.

Inicialmente, as vendas 100% digitais a partir dessa plataforma estão restritas a apartamentos em um condomínio situado em Belo Horizonte. Entretanto, segundo apontado por Sima, a expectativa é de estender essa modalidade de venda para todos os empreendimentos da MRV.

De acordo com o diretor de TI da construtora, a plataforma agregou para a evolução da produtividade dos processos de venda da empresa, principalmente por resolver sua principal preocupação: oferecer suporte ao cliente. Com isso, a experiência do consumidor foi aperfeiçoada.

“Como nós estamos simplificando os processos, a tendência é que o cliente aprecie muitos mais esse tipo de venda do que o anterior. Eu não tenho dúvidas de que o cliente vai gostar muito mais da compra digital”, diz o especialista. Ainda, Sima acredita que isso não implica na obliteração dos modos de venda convencionais, uma vez que tudo depende da preferência e da confiança do consumidor.

Em conversa com a Smartus, Aristeu Livingstone, gestor de marketing do Facilita, explicou que essa trajetória do mercado para soluções online é inevitável.

“Hoje, os consumidores já vivem de uma nova forma. Eles estão mais acostumados a apps de entrega, a abrir contas digitais em questões de minutos, a solicitar um carro em poucos toques. Eles estão nesse ambiente muito mais prático, menos burocrático”, explica.

“De repente, eles vão para o mercado imobiliário e encontram processos de vendas muito burocráticos. Isso não condiz com a sua realidade. As construtoras perceberam isso e estão correndo atrás”, completa o especialista.

Fonte: Smartus

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.