fbpx

Até quanto estão dispostos a pagar pelo seu imóvel?

Até quanto estão dispostos a pagar pelo seu imóvel?

Existe uma fórmula ideal para vender seu imóvel? Sim! Existe.

Fórmula ideal. Uma pessoa com potencial de compra, disposta a apagar pelo seu imóvel, pelo preço que você oferecer, no exato momento em que estiver disposto a vendê-lo. Negócio fechado, contratos assinados e conclusão de documentos para a escritura. Acabou! Simples assim. As vezes acontece. Mas, não é comum.

Uma fórmula que funciona! Existe, sim.

Normalmente temos, nós corretores, uma carteira de clientes compradores em potencial, em busca de imóveis diversos, e por outro lado, uma outra carteira de vendedores, com imóveis diversos, dispostos a vende-los. Mas, não se combinam. Alguns imóveis, ninguém quer comprá-los, porque um dos fatores que desenvolve obstáculo é o preço que estão oferecendo naquele momento. Não há potencial de venda!

Até quanto estão dispostos a pagar pelo seu imóvel num dado momento?

Aqui uma breve história, um pequeno exemplo:

Um cliente nos deu para vender um apartamento muito interessante, boa localização, desocupado, porém antigo. Preço inicial R$ 240 mil. Quanto na realidade valia naquele momento? R$ 220 mil.

Hora crucial! Determinar o valor certo, para que aconteça uma negociação lucrativa para todos!

Iniciamos o processo de venda, primeiro pela nossa carteira, depois, um segundo passo, anúncios públicos. Este era o que pretendíamos para vendê-lo em 90 dias.

Mapa da mina!

Ao contatar nossa carteira de interessados, descobrimos de imediatos cinco clientes potenciais (tem condições financeiras de compra, tem preferência por este tipo de apartamento e as suas características). Fizemos o contato com os cinco. Todos aceitaram conhecer este apartamento. Todos visitaram este apartamento.

Resultados certeiros: venda pronta!

Daí surgiram três propostas. A primeira proposta sugeria 10 parcelas iguais de R$ 24 mil. A segunda, sugeria R$ 220, uma entrada de R$ 80 mil e restante por financiamento bancário. (Nesse tempo o financiamento bancário exigia no mínimo 30% de entrada, que deveria ser acima de R$ 66 mil, com base em R$ 220 mil, para financiar 70%). A terceira, era para pagamento à vista R$ 200 mil.

Apresentar bem, para que não surjam dúvidas!

Apresentei as propostas para os proprietários. Uma semana depois o marido me ligou, e me perguntou se havia aparecido propostas melhores do que aquelas que eu apresentei. Segundo seu parecer, eram propostas muito “ruins”. Ele estava me comunicando que aumentaria o preço de R$ 240 mil para R$ 250 mil. Alertei, que as três propostas eram ótimas para aquele momento. Alertei que o valor do imóvel era R$ 220 mil, e que oferecer acima disso era um risco de encalhar por meses ou anos. Diante disso ele me estabeleceu oferecer por apenas 30 dias seguintes ao da conversa.

Hora de sair! Alerta! Barco furado.

Neste momento, vi que suas intenções não era mais vender. Quer levar vantagem nos negócios. Se sentindo “a última bolacha do pacote”. Então, me retirei do processo de venda desse imóvel. Um comportamento assim

Acompanhar o movimento do mercado!

Acompanhei o desenrolar durante quase três anos. De mão em mão, vários profissionais ofereceram esse mesmo apartamento, até chegar a R$ 280 mil. Alugado algumas vezes. Ficou na maioria desse tempo fechado, vazio e abandonado.

Agora recentemente, após quase três anos, este mesmo apartamento foi vendido por R$ 150 mil à vista. Quanto custou para manter este apartamento durante este tempo todo? Creio que ironicamente deve ter sido um ótimo e lucrativo negócio para o comprador! Porque hoje, este apartamento está valendo algo em torno de R$ 250 mil. Este valorizou R$ 30 mil em três anos. E o comprador ganhou R$ 100 numa compra.

Sem ilusão! Sem brincadeiras.

Esta não é uma história isolada. Vários imóveis foram tratados desta mesma forma durante os últimos anos. Isto porque são tratados como objetos, como patrimônio, ou, seja lá o que for. Menos, como um negócio imobiliário. Muita gente brinca. Brinca que vai comprar, sem ter condições para tal. Brinca que vai vender, sem ter nenhuma ideia do que realmente seja uma negociação. Desconhece o mercado imobiliário e não consegue perceber as grandes oportunidades.

Esta fórmula existe sim! E você poderá desfrutar dela.

Tudo começa com uma boa avaliação imobiliária. Vistoria inicial detalhada de forma correta. Pesquisa documental correta. Critérios que sejam importantes para uma avaliação correta. Preço estabelecido cobrindo todos os riscos de uma negociação, dentro dos parâmetros do mercado imobiliário no local do imóvel avaliando. Pronto!

Segunda parte, é ter uma carteira de clientes compradores bem definida. Classificada por potencial de compra. Definida pela necessidade temporal, curto, médio e longo tempo. Tipos de negociações prováveis. E assim por diante.

É difícil, é! Complicado? Sim! Impossível? Não.

Então?? Vamos vender seu imóvel?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: