MASP 70 anos

O MASP está comemorando 70 anos! Poucos conseguem viver tão intensamente durante tantos anos. Desde muito pequeno ouvi dizer e iniciei minhas visitas no MASP. Mas, vê-lo chegar a 70 anos é indiscutivelmente maravilhoso. MASP é a sigla de Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, localizado na avenida Paulista, na capital de São Paulo. Considerado uma das principais instituições culturais do Brasil, abrigando ininterruptas exposições artísticas de grandes nomes da arte moderna e contemporânea. Fomos lá comemorar pessoalmente!

MASP 70 ANOS

O MASP, Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, oficialmente inaugurado em 2 outubro de 1947, na rua 7 de abril, na sede dos Diários Associados, em São Paulo. Para comemorar seus 70 anos de existência, o Museu ofereceu uma intensa programação gratuita, com shows, oficinas, visitas, palestra, seminário e filmes. Para acompanhar sua programação acesse o MASP

MASP 70 anos
Vista externa do MASP na avenida Paulista, década de 1980 – Foto: Luiz Hossaka – Arquivo da Biblioteca e Centro de Documentação do MASP.

Na avenida Paulista aberta a transeuntes, o Vão Livre com shows de músicos independentes. Programações de artes diversas e de altíssima qualidade.

EXPOSIÇÕES 2018

Aleijadinho (título a confirmar)
Março a junho de 2018
Curadoria: Rodrigo Moura

A exposição de Antônio Francisco Lisboa, conhecido como Aleijadinho (Vila Rica, atual Ouro Preto, Minas Gerais, 1738 – 1814) pretende reunir, de maneira inédita, uma grande apresentação da obra desse artista negro, considerado um dos principais expoentes do barroco brasileiro. A mostra conta com empréstimos de alguns museus e congregações religiosas, que, além de esculturas devocionais, inclui também trabalhos de outros artistas que retratam a formação do mito Aleijadinho ao longo dos séculos 19 e 20. A exposição lança um olhar renovado sobre a produção desse artista, ao incluí-la no contexto das histórias afro-atlânticas, relacionando-a com temas como raça e escravidão no Brasil.

Maria Auxiliadora da Silva (título a confirmar)
Março a junho de 2018
Curadoria: Adriano Pedrosa e Fernando Oliva

A exposição sobre a artista Maria Auxiliadora da Silva (Campo Belo, Minas Gerais, 1935 – São Paulo, 1974) reúne cerca de 70 pinturas, apresentadas sob diferentes agrupamentos, como “vida cotidiana”, candomblé/umbanda/orixás”, “manifestações populares”, “auto-retratos” e outros. Maria Auxiliadora da Silva foi uma artista autodidata afro-brasileira. Começou a desenhar com carvão ainda na adolescência, depois passando para a pintura a óleo, que praticou até o final da vida. A artista desenvolveu uma técnica própria, baseada na mistura de massa de poliéster com o próprio cabelo, dando assim origem a volumes e texturas em suas telas. A exposição de Maria Auxiliadora se insere no contexto do programa de revisão da produção de alguns artistas que, por diversos motivos, não tiveram suas obras incluídas nas narrativas hegemônicas da arte brasileira.

Emanoel Araújo (título a confirmar)
Abril a julho de 2018
Curadoria: Tomás Toledo

Nome fundamental do cenário artístico brasileiro, o curador e artista Emanoel Araújo (Santo Amaro, Bahia, 1940) iniciou sua produção em arte na década de 1960. Sua obra, fundamentalmente escultórica, é caracterizada pelo construtivismo geométrico e pela influência de temáticas afro-brasileiras. A exposição de Emanuel Araújo dá ênfase aos trabalhos que lidam com as simbologias das religiões afro-brasileiras, como as diversas esculturas que representam orixás do candomblé, e com obras que tematizam as relações afro-atlânticas, presentes em sua série de navios negreiros.

Histórias afro-atlânticas
Junho a outubro de 2018
Curadoria: Adriano Pedrosa, Ayrson Heráclito, Hélio Menezes, Lilia Schwarcz e Tomás Toledo

O Museu de Arte de São Paulo e o Instituto Tomie Ohtake organizam, em conjunto, a exposição “Histórias afro-atlânticas“, que reúne uma ampla seleção de obras de arte e documentos relacionados aos “fluxos e refluxos” (usando a famosa expressão de Pierre Verger) entre a África, as Américas, o Caribe e também a Europa. Contemplando trabalhos do século 16 ao 21, a mostra inclui uma variedade de temas que organizam seus diversos núcleos, alguns dos quais estavam presentes em “Histórias mestiças“, exposição com curadoria de Adriano Pedrosa e Lilia Schwarcz apresentada no Instituto Tomie Ohtake, em 2014: retratos, vida cotidiana, viagens e tráfico, punições e revoltas, festas e religiões, liberdades e abolições, ativismos, abstrações e modernismo africano.

Dois seminários foram realizados no MASP sobre o assunto, o primeiro em 28 e 29 de outubro de 2016, o segundo em 21 e 22 de outubro de 2017, reunindo especialistas em vários domínios e temas, como história da arte, sociologia, história e antropologia. Um terceiro seminário acontecerá no Instituto Tomie Ohtake durante a exposição.

Melvin Edwards (título a confirmar)
Agosto a novembro de 2018
Curadoria: Rodrigo Moura

A exposição de Melvin Edwards (Houston, Texas, Estados Unidos, 1937) vai reunir obras de sua célebre série Lynch Fragments, produzida desde os anos 1960 até hoje. Nessas esculturas de parede, o artista reúne diversos objetos em metal, como correntes e ferramentas de trabalho, para lidar com questões como raça, violência, trabalho e escravidão, especificamente no contexto da diáspora africana. Esta será uma importante mostra em profundidade do artista, considerado uma das principais referências entre artistas afro-americanos em atividade.

Rubem Valentim (título a confirmar)
Agosto a novembro de 2018
Curadoria: Adriano Pedrosa e Fernando Oliva

A exposição em torno da obra de Rubem Valentim (Salvador, 1922 – São Paulo, 1991) reúne cerca de 60 trabalhos com o propósito de rever a produção desse fundamental artista brasileiro do século 20, responsável por promover potentes articulações entre os elementos da tradição ocidental e as raízes africanas da cultura brasileira. Pintor, escultor e gravador, Rubem Valentim cresceu em contato íntimo com a religiosidade sincrética afro-brasileira: sua família era católica, mas o artista também frequentava terreiros de candomblé. Já adulto, Valentim relataria seu deslumbramento tanto com os ritos afro-brasileiros quanto com a imaginária das igrejas cristãs, especialmente os santos barrocos.

Nas obras de Valentim há uma interpenetração muito sutil e precisa entre a estrutura de base construtiva e a iconografia e o colorido herdados do universo mágico e religioso afro-brasileiro. Nesse sentido, podemos dizer que Valentim é um dos artistas que, de maneira mais completa e ambiciosa, realizou o desejo antropofágico da cultura brasileira – a ideia, lançada pelo poeta Oswald de Andrade no final dos anos 1920, que propunha “deglutir” o legado cultural europeu, “digeri-lo” e então devolvê-lo ao mundo sob a forma de uma arte tipicamente brasileira.

Sônia Gomes (título a confirmar)
Novembro de 2018 a fevereiro de 2019
Curadoria: Camila Bechelany

As esculturas e instalações de Sônia Gomes (Caetanópolis, Minas Gerais, 1948) são feitas a partir de materiais residuais, principalmente têxteis e outros objetos diversos. Ela constrói estruturas envolvidas ou inteiramente construídas de tecidos, muitas vezes antigos, e originários do acervo familiar. Caetanópolis, cidade natal de Gomes, é importante centro de manufatura têxtil e a infância da artista foi marcada pelo universo da costura e do bordado. Sua produção visual remete a práticas artesanais brasileiras: as amarrações, nós, patuás, trouxas e tramas que compõem o trabalho lembram detalhes de vestimentas que encontramos em festas populares, como a folia de reis e o congado – expressões culturais afro-brasileiras – mas também à tradição de bordadeiras e rendeiras de Minas Gerais, todos parte de sua formação artística.

Pedro Figari (título a confirmar)
Novembro de 2018 a fevereiro de 2019
Curadoria: Adriano Pedrosa e Mariana Leme

Pedro Figari (Montevidéu, Uruguai, 1861-1938), artista branco, é um dos grandes representantes do modernismo uruguaio, unindo, em sua pintura, um estilo muito particular de gestos, manchas e movimento, e um desejo de explorar uma América Latina autônoma, baseada em suas raízes históricas e étnicas. Neste sentido, Figari atuou durante grande parte de sua vida como advogado de destacada voz pública, defendendo temas ligados aos direitos humanos, à educação e à arte. Foi diretor da Escola de Artes e Ofícios em Montevidéu e ali defendeu a fusão entre indústria e arte com uma identidade latino-americana, visando fomentar “a mentalidade nacional com critérios próprios”. Aos 60 anos passa a se dedicar à pintura, retratando o passado do país, com cenas cotidianas, casamentos, bailes, paisagens e festas populares, sobretudo das comunidades afro-uruguaias. Destacam-se, em suas pinturas, representações do candombe, dança de origem afro-americana que se praticava em grupo – sendo que uma das mais significativas desse conjunto faz parte do acervo do MASP. O foco da exposição será o das narrativas afro-uruguaias: além das danças do candombe, estarão expostas representações de festas negras, cenas de trabalho, passeios, entre outros, retratando a expressiva presença dessa população em seu país.

Lucia Laguna (título a confirmar)
Dezembro de 2018 a março de 2019
Curadoria: Isabella Rjeille

Fomos visitar o museu!

Agora um pouco de história

MASP 70 ANOS

Assim trouxemos um pouco para compartilhar com você

Apartamento reformado no Conjunto Novo Mundo com suite

Apartamento no Conjunto Novo Mundo com 1 vaga de garagem

Apartamento reformado no Conjunto Novo Mundo com suite. Apartamento reformado 3 dormitórios (1 suíte), Novo Mundo, Curitiba/PR à venda na DERVILLE Imóveis (41) 99822 3411 Whatsapp. REF 0956 000

Apartamento reformado no Conjunto Novo Mundo com suite

Apartamento reformado no Conjunto Novo Mundo com suite
Centro Habitacional Novo Mundo – Novo Mundo – Critiba, PR

Na DERVILLE imóveis você encontra para comprar Apartamento reformado no Conjunto Novo Mundo com suite, 3 dormitórios (1 suíte), Novo Mundo, Curitiba/PR.

Apartamento reformado no Conjunto Novo Mundo com suite
Através da planta é possível notar que por haver janelas pelas duas laterais do apartamento a ventilação é boa e permanente.

Apartamento reformado 3 dormitórios (1 suíte), pronto para morar. Quitado. Pode ser financiado pelo seu banco.

Localização

Região que se valoriza a cada dia. Próximo de tudo: creches, escolas (particulares, estaduais e municipais), cursos, faculdades, comércio em geral na Av. República Argentina, cartórios (Portão, Novo Mundo, Pinheirinho), farmácias, postos de saúde, hospitais (particulares ou públicos), clínicas, dentistas, padarias, restaurantes, açougues, mercados e supermercados, shoppings (Popular, Ventura ou Palladium). Vale a pena conferir.

Conheça o Apartamento

Apartamento reformado no Conjunto Novo Mundo com suite, 3 dormitórios (1 suíte), Novo Mundo, Curitiba/PR.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Agende sua visita agora mesmo pelo telefone (41) 99822-3411 Whatsapp ou por email: derville@dervilleimoveis.com.br


Horário verão começou, adiante 1 hora!

Horário Verão

Hoje, domingo, dia 4 de novembro d 2018, aqui no Brasil, começa o horário verão no Distrito Federal, e nos estados: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Portanto, os moradores devem adiantar seus relógios em 1 hora e ficar atentos à configuração do celular. Horário verão brasileiro vai até 17 de fevereiro de 2019.

 

Antes de visitar um imóvel: planejamento

Antes de visitar um imóvel: faça um bom planejamento

Hoje é feriado! Algumas pessoas preferem ou só tem feriados e fins de semana parasse dedicarem a visitar imóveis para comprar ou alugar.

Diante de tão pouco tempo, o que você vai precisar é um bom planejamento. Muitas pessoas só compram um imóvel na vida inteira. Outros tantos, uma grande maioria, nunca irão comprar nenhum.

Planejamento: anseios e desejos

Calma! Não saia visitando tudo que lhe aparece na frente. Cada imóvel tem uma característica. O que você precisa fazer é identificar essa característica com as suas.

Faz um tempo que atendi um casal que visitou muitos imóveis, de todos os tipos e todos os preços. Dai me ligaram pela segunda vez. Agora, estavam decididos a comprar um dos apartamentos que eu estava vendendo naquela ocasião. Agendamos a visita com um certo tempo, para que todos pudessem ajustar suas agendas. Partimos então para a visita. Qual foi a surpresa, que ao entrarmos no apartamento escolhido, a esposa, olhou para mim e disse: “a cozinha não estava nessa posição, porque vocês mudaram?”

Essa reação é típica de quem viu muito, sem planejamento algum. A decisão era comprar. Daí mistura-se tudo. Preços. Tamanho. Necessidades. A confusão é geral. Ao final da compra, o sentimento que sobra é desilusão. E, se chega à seguinte conclusão: “comprei o imóvel errado!”

Primeiro passo: identifique sua capacidade financeira

A decepção de encontrar um imóvel muito interessante, porém, a distância financeira poderá ser gigantesca. Algumas das possibilidades mais comuns para a compra são: á vista, à prazo e com permutas. Hoje temos outras alternativas menos comuns, porém para negócios muito específicos.

Pagamento à Vista

O pagamento à vista, é uma forma de pagar por imóvel. Para isso, é preciso já ter o dinheiro total e disponível para essa operação. Quando alguém já tem a quantia total e necessária, mas ainda aplicada no mercado financeiro, deverá ter cuidado com o contrato de compra, para que as cláusulas registrem os tempos necessários para a liberação do dinheiro. A vantagem desta forma de pagamento é a possibilidade de ter um desconto maior ou ainda de escolher as melhores unidades, quando for um condomínio, tanto horizontal com o vertical.

Pagamento a Prazo

O pagamento a prazo, significa que você tem a capacidade financeira para a aquisição de um imóvel, porém vai precisar complementar com um crédito financeiro ao o que você já tem disponível em espécie. A análise de crédito deve preceder qualquer início das operações. O impacto, a tristeza, a decepção que ocorre na hora da finalização da compra, aparecerem impeditivos. O conselho é o mesmo: verifique bem antes.

Pagamento com Permutas

O pagamento com permutas, significa que você tem um bem ou serviço que será oferecido como parte do pagamento a ser feito para a compra do imóvel desejado. Mediante um contrato específico, cada detalhe sobre a o que será permutado, ou seja, o que será dado com parte de pagamento.

Pagamento Misto

O pagamento que envolve várias possibilidades de cruzar as formas de pagamentos anteriores para que seja finalizada a compra. Por exemplo: à vista com permuta ou a prazo com permuta.

Alguns cuidados!

Será sempre bom, prever que as formas poderão ser alteradas em algum momento. Deve-se prever em contrato essa possibilidade de alterar e ainda, em quais condições estas possam ocorrer. Prazos, multas, etc.

Segundo passo: consulte todas as despesas antes de tomar qualquer atitude

Toda operação de compra e venda de imóveis gerará despesas. Porque muitos profissionais e órgãos estarão envolvidos. Profissionais envolvidos: corretor de imóveis, imobiliárias, construtoras, engenheiros, arquitetos, decoradores, advogados, contadores, consultores, assistentes, especialistas, prestadores de serviço, etc. Órgãos envolvidos: cartorários, justiça, municipal, estadual e federal.

Despesas para o levantamento de documentos necessários para essa operação

Normalmente os despachantes imobiliários, são os mais indicados para tal levantamento. Serviços de assessoria imobiliária poderão ser também oferecidos para lhe dar todas as informações prévias. Solicite um orçamento para tal, antecipadamente!

Despesas para o registro do imóvel

Os cartórios têm esse papel, em casos isolados, o corretor de imóveis, também poderá fazê-los. Uma vez listados e conferidos todas as alternativas, consulte seu advogado, seu contador e seu tributarista. Esse formato poderá lhe trazer um conforto nas futuras negociações se houver necessidade.

Despesas posteriores à compra

A maioria esquece que existem muitas despesas após a compra do imóvel. Você consegue imaginar que a maioria se esquece dos procedimentos de mudança para o novo endereço, bem como suas despesas? É incrível. Porque durante os próximos nove meses, após a compra do novo imóvel, seus hábitos se reprogramam. O que vai acontecer? Na compra você tem determinados hábitos, porém, depois da mudança, seus há tendem a se modificar, e você terá novas necessidades.

Terceiro passo: selecione o que está mais perto da sua solução

Solução: não comprar!

Pense bem antes de entrar num processo de compra de imóvel. Uma solução poderá ser o de não comprar nada. Apenas fazer adaptações onde você está morando atualmente.

Solução: depender de terceiros

Pense bem antes de entrar numa negociação, se você precisa depender de uma ou mais pessoas para poder seguir em frente. Estas pessoas têm interesses diversos. Um deles poderá ser lhe ajudar. Ou, ainda, se aproveitar da ocasião para num futuro lhe usar para seus fins, ainda não bem claros. Poderá ser um problema ainda maior para você no futuro.

Solução: postergar

Postergar, deixar para depois, poderá ser uma boa alternativa. Sim! Se você ainda não tem todas as informações completas. Algo poderá lhe trazer a necessidade de retornar às pesquisas iniciais.

Solução: ação imediata

Tempo de validade! Sim! Suas propostas dentro de uma negociação poderão ter um prazo de validade grande ou pequeno. É comum alguns vendedores dizerem a verdade sobre esse assunto. Se não comprar hoje, outro compra. E, isto por ser verdade, acaba acontecendo mesmo. A maioria das vezes esse tipo de argumento não passa de “blefe” para finalizar a operação.

Planejamento: é a resposta para solução e sucesso do seu negócio imobiliário

Comprar imóvel demanda tempo, foco, cuidados e paciência. Quando bem planejados, você vai comprar bem. E, se mais tarde precisar vender, vai fazê-lo com segurança.

Arquivos de documentos pessoais

Mantenha seus arquivos pessoais muito bem organizados. Certidões tem prazo de validade, mas para alguns casos, mesmo fora do prazo, já vencidos, ainda são úteis.

Arquivos de documentos do imóvel desejado

Antes de qualquer negociação, cheque os documentos para identificar quem é o verdadeiro dono. A legislação sobre esse tema é bem ampla, e lhe trás grande segurança neste tipo de negociação.

Prints das propostas

Utiliza-se aplicativos, tabletes e celulares. Não deixe de manter todos os registros, desde o primeiro contato. Fazendo seus prints, ficará mais tranquilo em identificar todas as trajetórias utilizadas. Poderá lhe servir de prova, se não der certo, ou algo indique algum dano. Mas, poderá lhe servir de instruções para futuros negócios.

Planilhas

Utilize planilhas à vontade! São ótimas ferramentas, das quais é possível uma atualização de dados constantes. Creio que você já deve ter utilizado alguma recentemente.

Outros

A onda de aplicativos nos aponta muitas possibilidades. Mas, antes de utilizar procure entender quem é o seu autor. Vi um deles, por exemplo, que pertence a um grande jornal de classificados. Ele é totalmente tendencioso e lhe direciona para que utilize os classificados do tal jornal. Não é confiável, nenhuma das suas orientações é recomendável.

Agora é a hora da ação!

Aproveite seus momentos para elaborar um bom plano. Depois, vamos falar sobre quais são as melhores estratégias para que seu planejamento seja um sucesso. Sucesso é realizar o que planejou.

Um abraço. Bons negócios!

Como fazer bons negócios imobiliários?

Todo final de ano temos uma tendência de parar para refletir ou meditar sobre o que vivenciamos nos últimos doze meses. Penso que essa deveria ser nossa postura todo final de mês, não exclusivamente no final de cada ano. Ganhamos ou perdemos nos últimos doze meses? Se ganhamos, continuar ganhando. Como fazer uma manutenção de momento de sucesso? Se perdemos, que lições aprendemos? Ou, ainda, como mudar nossa história? Ou, como reverter esta situação?

Como fazer bons negócios imobiliários?

Li em alguns livros e artigos uma ideia que tem se multiplicado a cada dia. Esta ideia sugere para que você faça várias aplicações financeiras combinadas em um determinado tempo, por períodos consecutivos, e você terá como resultado um ganho tão alto que se tornará um milionário. Só ao final de tudo isso será contemplado a realizar seu sonho da compra de uma casa ou apartamento próprio. Mas, o que você faz durante esse tempo? Porque você não vai investir nada na compra de um imóvel para morar, certo? Onde você vai morar? Ah! A solução, segundo esses autores, é simples, você aluga. Pronto. Está tudo resolvido.

O que motiva essa atitude é uma somente: ficar milionário. Seu foco precisar ficar especificamente em finanças. Principalmente nas aplicações financeiras do momento. Tudo para fazer você permanecer concentrado nos movimentos e tendências do mercado financeiro. Esqueça do mercado imobiliário no momento.

Mas, alugar, também faz parte do mercado imobiliário que você estará diretamente envolvido. Vai precisar de foco também. Você conhece bem o mercado imobiliário?

O mercado imobiliário

Negócios imobiliários demandam foco, detalhamento, tempo e cuidados. Seus resultados são sempre demorados. Pense em vender casas, por exemplo. Vai precisar escolher um terreno, fazer plantas e planos, construir, dar um bom acabamento e daí oferecer por um bom preço. Já imaginou quanto tempo demanda?

Negócios imobiliários sempre apresentam resultados positivos. Mesmo em tempos de crise. Sua liquidez é certa, porém, demorada, se comparada com determinados investimentos financeiros. Sua valorização é constante. Porém, sua manutenção poderá acarretar prejuízos se mal planejados.

O segredo para se fazer bons negócios imobiliários está na combinação de satisfazer o vendedor e comprador ao mesmo tempo. Quando ambos ganham. Mas, para que isso ocorra, o início é fazer uma boa compra, para que se faça uma boa venda. Poderemos até em dizer altamente lucrativos para todas as partes envolvidas.

O que você sabe sobre Avaliação Imobiliária?

Avaliação Imobiliária

Antes de iniciar um bom negócio imobiliário se faz necessário responder a seguinte questão: “quanto custa esse imóvel?” Essa pergunta sempre é a primeira e a mais importante de todas. Sem essa resposta nada acontece. Essa resposta vai indicar comparativos. Se este imóvel vale “tanto”, um equivalente a ele deverá valer aproximadamente “outro tanto”. É assim que se reage dentro do mercado imobiliário.

Por isso, a avaliação imobiliária é o primeiro e mais significativo passo! Tenho insistido muito em repetir esta informação, para fugirmos dos “achismos”. Se a avaliação imobiliária ocorrer fora dos padrões básicos, sem profissionalismo, provavelmente estará acima do valor de mercado, o que irá atrasar qualquer negociação ou até mesmo torná-la inviável. Mas, se for abaixo, poderá causar tal prejuízo que nunca mais poderá ser recuperada. Portanto, a busca será encontrar o preço justo.

Era uma vez, uma tal “galinha morta”!

Você em algum momento deve ter ouvido falar sobre essa tal “galinha morta”, certo? Sou procurado por algumas pessoas que se dizem interessados em comprar somente “galinha morta”. “Galinha morta”, é aquela que não demanda sacrifício algum, só pegar e fazer a comida. É um jargão muito usado no mercado imobiliário, tal como “pão quente”, entre outros.

Mas, a primeira pergunta que se deve fazer diante de uma oferta abaixo do preço de mercado, uma “galinha morta”, é o que motivou a baixa do preço desse imóvel. Os motivos devem ser analisados com precisão. Muitas vezes, quase na maioria das vezes, a “galinha” não está “morta”, mas as finanças do seu possuidor. Para negociar uma “galinha morta” é preciso ter paciência e muito conhecimento sobre o que está sendo negociado.

Operar com imóveis abaixo do valor de mercado é uma modalidade específica que poucos exploram. Necessita de muita habilidade e muito interesse nesse assunto. É um segmento de mercado específico, que traz tanta lucratividade como o mercado de forma geral. Alguns autores têm registros de suas experiências em diversas partes do mundo e no Brasil também. Muitos fatores devem ser levados em conta. Apenas reproduzir o que um determinado autor fez poderá ser muito perigoso. O prejuízo poderá ser irreparável.

Além da “galinha morta” …

Li certa vez, sobre um autor investidor, que atuava num mercado imobiliário de outro país. Não no Brasil, onde estamos. Ele usou fórmulas mirabolantes, todas descritas nos seus livros, e conta em detalhes o seu sucesso. Comprou e vendeu usando esse formato descrito por décadas. Fiz um estudo sobre esse fato, apenas, trazendo ao cenário brasileiro. Fiz a aproximação de valores, tipo de imóvel semelhante e modelo de negociação com algumas adaptações. Mantendo a mesma velocidade de venda. Resultado: não daria certo. Resultados financeiros não combinam com os praticados no Brasil. Porque a legislação brasileira é diferente, e não permitiria a executar esse projeto como no seu original. Tentamos outros modelos, não daria certo.

Modelos importados ou os seus modelos de negócios imobiliários

Portanto, transferir modelos de outros países, modelos importados, nem sempre é possível, viável ou lucrativo.

Mas, qual é o seu modelo de negócio, quando tratamos de negócios imobiliários? Qual é o seu objetivo? Quais estratégias que você vai utilizar? Quais resultados obter? Quanto tempo você vai precisar?

Fui procurado por um investidor com uma planilha na mão. Ele anotava tudo. Ele dizia que tal situação deveria ser alterada, porque, segundo sua planilha estava fora da viabilidade. Notei que em nenhum dos seus negócios chegaram até ao final. Seu planejamento consistia em fazer o mercado imobiliário trabalhar ao seu favor sempre. Sem oscilações. Sendo que se houvesse algum prejuízo numa negociação, sempre a outra parte se prejudicaria, nunca ele. Ele queria “forçar” os proprietários-vendedores a se renderem às suas exigências. Segundo ele, “não existe negociação, tem que fazer o que ele planejou”. Observe, impor critérios ao mercado é algo que envolve muito poder de decisão sobre o segmento que você vai atuar. Quase sempre, muito difícil de acontecer.

Um bom negócio imobiliário

Portanto, para fazer um bom negócio imobiliário é preciso reconhecer todos os detalhes e se informar com profundidade, para que o mercado imobiliário lhe responda. Avaliação imobiliária deve ser precisa, segundo seus objetivos. Não é tentar burlar a avaliação imobiliária, para que lhe seja favorável. Ao contrário, que seja muito realista. O mercado local, tem suas regras. Entenda essas regras. Terá muito lucro.

Bons negócios!

Reajuste de aluguel de Novembro de 2018 pelo IGP-M de Outubro de 2018

IGP-M de Setembro de 2018

IGP-M de Outubro de 2018 para reajustar seu aluguel de Novembro/2018

CALCULAR O REAJUSTE ANUAL DO SEU ALUGUEL DE NOVEMBRO DE 2018 COM O IGP-M DE OUTUBRO DE 2018, PASSO-A-PASSO

A expectativa é que este índice caia um pouco. Acima de 10% no reajuste, se não estiver bem avaliado a locação poderá demonstrar sinais de prejuízo.. Porque a maioria não sabe como funciona um contrato de aluguel. Por isso, resolvi escrever esta explicação para cada mês. Escrito de uma forma didática, passo-a-passo para facilitar a sua compreensão, com gráficos, imagens e vídeos. E, mesmo assim, se houver dúvida, preencha o formulário no final desta publicação.

Para isso, algumas informações importantes serão utilizadas a principal para este passo-a-passo é o indexador IGP-M. Ele foi publicado no final de Outubro, por isso, chamado de IGP-M de Outubro de 2018, publicado pela FGV Fundação Getúlio Vargas. Vamos lhe ajudar, neste passo-a-passo, a solucionar o cálculo do reajuste do seu aluguel e todos os procedimentos necessários, tanto para o inquilino (LOCATÁRIO), como para o proprietário (LOCADOR).

PERGUNTAS FREQUENTES DOS LEITORES

  • Quando fazer o reajuste do seu aluguel? Descubra primeiro qual é a sua data base ou aniversário do seu contrato para fazer o reajuste
  • Todo inicio de ano eu tenho que ajustar os alugueis? Não! O reajuste se faz anualmente na sua data base ou seja no aniversário do seu contrato
  • Como fazer o reajuste do seu aluguel? Você vai multiplicar o índice IGP-M pelo seu aluguel e depois você soma o resultado ao aluguel, isso, uma vez por ano, na data base ou seja no aniversário do seu contrato
  • O que pode e o que não pode fazer no reajuste do seu aluguel? No passo-a-passo você aprender como isso funciona

Então, vamos esclarecer …

Não importa em que dia do mês seu contrato iniciou, O que importa é o mês que iniciou. Que neste caso, é Novembro! Qualquer que seja o dia, sempre será o mês que vai validar!

Apenas mudar de ano, ou seja, passar de um ano civil para o outro, não autoriza aumentar ou diminuir seu aluguel. Ele permanece com o mesmo valor todos meses. Cada mês que vence você paga o mesmo valor do primeiro mês até o último mês do contrato de 12 meses. Ou seja, até o dia da renovação.

Vamos supor que meu contrato iniciou em Novembro de 2017, agora em Novembro de 2018 ele será alterado através da renovação de contrato.

E o índice utilizado para essa renovação será IGP-M de Outubro de 2018!

Todos os meses, no final de cada mês, a FGV Fundação Getúlio Vargas publica os resultados de vários índices que compõem o IGP-M. Isto não significa que seu aluguel será corrigido todos meses, gerando assim, cada mês um valor de aluguel diferente. Não! Significa apenas que durante esse período que você está alugando, naquele mês algo aconteceu com a economia que gerou inflação, ou seja, seu dinheiro ficou “barato”, e daí você vai precisar de mais dinheiro para pagar as mesmas coisas. Ou, se, houve uma deflação, que é quando seu dinheiro ficou mais “caro”, ou melhor, você precisa de pouco dinheiro para comprar as mesmas coisas.

Um ano, 12 meses, é muito tempo. Muitas coisas podem acontecer. Então, prevalece calcular o seu reajuste ao término dos 12 meses. Assim, se faz o reajuste utilizando o IGP-M dos últimos 12 meses, o seu valor acumulado em 12 meses é de 10,79%.

Atualizando suas informações

Vamos identificar o que já descobrimos sobre seu contrato até agora:

Data do início do Contrato: Novembro
Data do fim do Contrato: Outubro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Outubro de 2018

Uma vez que você já saiba qual é o período do seu contrato, ou seja, início e fim, inicia em Novembro de cada ano, e termina em Outubro de cada ano, agora você precisa saber sobre o INDEXADOR. Normalmente o indexador mais usado para contratos de aluguel tanto residencial como comercial é o IGP-M Índice Geral de Preços – Mercado, que é publicado pela FGV Fundação Getúlio Vargas nos últimos dias de Outubro. Para este mês usaremos IGP-M de Outubro de 2018.

INDEXADOR: IGP-M

Quando o seu contrato possui uma referência, ou seja, um indexador, tal como o IGP-M/FGV, fica mais fácil para calcular o reajuste. Basta multiplicar o valor acumulado dos últimos 12 meses. Desta vez utilizaremos o IGP-M de Outubro de 2018.

Por que reajustar o aluguel?

Mas, por que é preciso reajustar seu aluguel? O reajuste faz com que o aluguel não fique defasado diante da inflação ou deflação.

Atenção! Este é apenas um exemplo, o cálculo deste mês está a baixo, certo??

Saiba a diferença entre inflação e deflação:

  • Na inflação, você precisará de mais dinheiro para pagar o mesmo valor (poder de compra) do início do contrato que firmou. Por exemplo, seu aluguel no início era R$ 500,00, depois de 12 meses, a inflação acumulada em 12 meses atingiu +10%, ou seja, para pagar o mesmo valor inicial, será preciso mais dinheiro. Veja, você vai precisar de mais R$ 50,00 (10%). Então, seu aluguel de R$ 500,00 passará para R$ 550,00;
  • Já, na deflação, você precisará de menos dinheiro (o seu dinheiro valorizou, você terá mais pode de compra). Por exemplo, seu aluguel no início era R$ 500,00, depois de 12 meses, a inflação acumulada em 12 meses atingiu 10%, ou seja, para pagar o mesmo valor inicial, será preciso menos dinheiro. Veja, você vai precisar de menos R$ 50,00 (10%). Então, seu aluguel de R$ 500,00 passará para R$ 450,00

Deixe seu imóvel sob a administração da DERVILLE Imóveis solicite um orçamento para derville@dervilleimoveis.com.br.


PRIMEIRO PASSO! IGP-M de Outubro de 2018: Descobrir a sua data base para fazer o reajuste anual no tempo certo

Observe atentamente de acordo com a data que inicia o seu contrato de aluguel:

Data Base: JANEIRO

Data do inicio do Contrato: Janeiro
Data do fim do Contrato: Dezembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Dezembro

JANEIRO 2014 | JANEIRO 2015 | JANEIRO 2016 | JANEIRO 2017 | JANEIRO 2018

Data Base: FEVEREIRO

Data do inicio do Contrato: Fevereiro
Data do fim do Contrato: Janeiro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Janeiro

FEVEREIRO 2014 | FEVEREIRO 2015 | FEVEREIRO 2016 | FEVEREIRO 2017 | FEVEREIRO 2018

Data Base: MARÇO

Data do inicio do Contrato: Março
Data do fim do Contrato: Fevereiro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Fevereiro

MARÇO 2014 | MARÇO 2015 | MARÇO 2016 | MARÇO 2017 | MARÇO 2018

Data Base: ABRIL

Data do inicio do Contrato: Abril
Data do fim do Contrato: Março
Índice a ser utilizado: IGP-M de Março

ABRIL 2014 | ABRIL 2015 | ABRIL 2016 | ABRIL 2017 | ABRIL 2018

Data Base: MAIO

Data do inicio do Contrato: Maio
Data do fim do Contrato: Abril
Índice a ser utilizado: IGP-M de Abril

MAIO 2014 | MAIO 2015 | MAIO 2016 | MAIO 2017 | MAIO 2018

Data Base: JUNHO

Data do inicio do Contrato: Junho
Data do fim do Contrato: Maio
Índice a ser utilizado: IGP-M de Maio

JUNHO 2014 | JUNHO 2015 | JUNHO 2016 | JUNHO 2017 | JUNHO 2018

Data Base: JULHO

Data do inicio do Contrato: Julho
Data do fim do Contrato: Junho
Índice a ser utilizado: IGP-M de Junho

JULHO 2014 | JULHO 2015 | JULHO 2016 | JULHO 2017 | JULHO 2018

Data Base: AGOSTO

Data do inicio do Contrato: Agosto
Data do fim do Contrato: Julho
Índice a ser utilizado: IGP-M de Julho

AGOSTO 2014 | AGOSTO 2015 | AGOSTO 2016 | AGOSTO 2017 | AGOSTO 2018

Data Base: SETEMBRO

Data do inicio do Contrato: Setembro
Data do fim do Contrato: Agosto
Índice a ser utilizado: IGP-M de Agosto

SETEMBRO 2014 | SETEMBRO 2015 | SETEMBRO 2016 | SETEMBRO 2017 | SETEMBRO 2018

Data Base: OUTUBRO

Data do inicio do Contrato: Outubro
Data do fim do Contrato: Setembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Setembro

OUTUBRO 2014 | OUTUBRO 2015 | OUTUBRO 2016 | OUTUBRO 2017 | OUTUBRO 2018

Data Base: NOVEMBRO

Data do inicio do Contrato: Novembro
Data do fim do Contrato: Outubro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Outubro

NOVEMBRO 2014 | NOVEMBRO 2015 | NOVEMBRO 2016 | NOVEMBRO 2017 | NOVEMBRO 2018

Data Base: DEZEMBRO

Data do inicio do Contrato: Dezembro
Data do fim do Contrato: Novembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Novembro

DEZEMBRO 2014 | DEZEMBRO 2015 | DEZEMBRO 2016 | DEZEMBRO 2017 | DEZEMBRO 2018


SEGUNDO PASSO: IGP-M de Outubro de 2018

As vantagens aumentam quando as informações são precisas. Quando as orientações profissionais dinamizam suas decisões. Portanto, trabalhar com a DERVILLE Imóveis torna-se um grande passo para o sucesso nos seus negócios imobiliários.

IGP-M de Outubro de 2018: O REAJUSTE ANUAL DO SEU ALUGUEL PARA CONTRATOS FIRMADOS EM NOVEMBRO

Todos os meses, nos seus últimos dias, são publicados as informações do boletim da IBRE/FGV sobre o indexador “O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou 0,89% em outubro, ante 1,52% em setembro. Com este resultado, o índice acumula alta de 9,25% no ano e de 10,79% em 12 meses. Em outubro de 2017, o índice havia sido de 0,20% e acumulava queda de 1,41% em 12 meses.”

Depois desta informação, o que você deve fazer?

O primeiro é entender os tipos de reajustes para o seu aluguel tanto residencial como comercial!

TIPOS DE REAJUSTES DE ALUGUEL

Antes de conhecer os tipos de reajustes permitidos, observe os tipos que são PROIBIDOS:

  • É PROIBIDO reajustar seu aluguel pela variação cambial de uma moeda estrangeira;
  • É PROIBIDO reajustar seu aluguel com base no salário mínimo.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 17. É livre a convenção do aluguel, vedada a sua estipulação em moeda estrangeira e a sua vinculação à variação cambial ou ao salário mínimo.

Os reajustes para a locação são dois tipos:

  1. REAJUSTE ANUAL (para manter o poder de compra, em função da inflação ou deflação do período contratado, para tanto, usa-se um indexador – geralmente o IGP-M)
  2. REAJUSTE TRI-ANUAL (para assegurar a proporção da “renda” em função do valor de mercado do imóvel locado – que gira em torno de 0,5% a 1,1% para os imóveis residenciais)

Na hora de compor o contrato de locação tanto o Locador (Proprietário ou responsável pelo imóvel) como o Locatário (Inquilino) deverão escolher, de comum acordo, a forma que será estabelecida no que se refere aos reajustes durante o contrato ou na sua renovação anual. Por isso, não pode ficar mudando os detalhes durante o contrato firmado! Alguns escolhem pôr em seus contratos: “no maior índice” ou ainda uma relação de índices para serem escolhidos na hora do reajuste. Tudo isso leva a nulidade do contrato.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 18. É lícito às partes fixar, de comum acordo, novo valor para o aluguel, bem como inserir ou modificar cláusula de reajuste.

IGP-M de Outubro de 2018: Reajuste anual

Este reajuste é para manter o poder de compra em função da inflação ou deflação do período do contratoIGP-M de Outubro de 2018

Este reajuste ocorre uma vez por ano no mês de aniversário do seu contrato ou DATA BASE.

Lembre-se que você mora 30 dias, depois paga pelo período que morou.

NÃO pode pagar para morar!

A Lei do Inquilinato é clara em dizer que você mora e depois paga pelo uso.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 43. Constitui contravenção penal, punível com prisão simples de cinco dias a seis meses ou multa de três a doze meses do valor do último aluguel atualizado, revertida em favor do locatário:
I – exigir, por motivo de locação ou sublocação, quantia ou valor além do aluguel e encargos permitidos;
II – exigir, por motivo de locação ou sublocação, mais de uma modalidade de garantia num mesmo contrato de locação;
III – cobrar antecipadamente o aluguel, salvo a hipótese do art. 42 e da locação para temporada.

Na maioria dos contratos de locação, tanto residencial como comercial, o IGP-M é o indexador mais utilizado, pois é o que mais reflete a variação econômica para este segmento.

VAMOS CALCULAR COM O IGP-M DE OUTUBRO DE 2018: CONTRATOS FIRMADOS EM NOVEMBRO

Portanto, para os contratos firmados em Novembro de cada ano, serão feitos os seguintes cálculos:

  • Data do inicio do Contrato: Novembro
  • Data do fim do Contrato: Outubro
  • Índice a ser utilizado: IGP-M de Outubro de 2018
  • Data Base (Aniversário) do Contrato: Novembro/2017
  • Data de Reajuste do Contrato: Novembro/2018
  • Data do Vencimento do Aluguel reajustado: 05/Dezembro/2018 (pode ser outra data em Dezembro/2018 – será a data que você vai pagar o aluguel)
  • Aluguel Atual: R$ 500 (EXEMPLO)
  • IGP-M acumulado nos últimos 12 meses: 10,79% (em decimais 0,1079
Passo-a-passo o cálculo
A) TRANSFORME A PORCENTAGEM EM DECIMAL
10,79% dividido por 100 = 0,1079
B) MULTIPLIQUE PELO ALUGUEL
R$ 500 x 0,1079 = R$ 53,95
C) AGORA SOME O ALUGUEL + REAJUSTE
R$ 500,00 + R$ 53,95 = R$ 553,95

Portanto, o aluguel reajustado passará de R$ 500,00 para R$ 553,95 mensais para o período de Novembro/2018 a Outubro/2019, sendo o seu primeiro vencimento em Dezembro/2018. Você está utilizando o IGP-M de Outubro de 2018!


NÃO SE ESQUEÇA DO RECIBO!!!

Quanto ao recibo de pagamento do aluguel Aluguel pago, gera-se um recibo por parte do Locador.

Isto é obrigatório!!!!.
LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 44. Constitui crime de ação pública, punível com detenção de três meses
a um ano, que poderá ser substituída pela prestação de serviços à comunidade:
I – recusar se o locador ou sublocador, nas habitações coletivas multifamiliares, a fornecer recibo discriminado do aluguel e encargos

Reajuste tri-anual para assegurar a proporção do aluguel com o valor do imóvel

Outro reajuste é pelo valor de mercado que ocorre a cada 36 meses de contrato.

Como funciona

Entendendo que a cada 3 (três) anos ou 36 (trinta e seis) meses, muitas coisas podem mudar. Inflação ou deflação na economia. Quando a inflação ocorre, você vai precisar de mais dinheiro para comprar a mesma coisa que você comprava antes, então o preço sobe. Mas, se houver deflação, ocorrerá o contrário, o dinheiro valoriza, e com pouco dinheiro você comprará a mesma coisa, então os preços abaixam.

Faça o cálculo

Se você é proprietário de um imóvel e pretende ter renda com a locação então você deverá fazer um cálculo sobre o preço atual do seu imóvel. Vamos supor que seu imóvel valha em torno de R$ 105.180,00 e você pretenda ter uma renda de 0,5% (meio por cento) mensal. Num cálculo simples, teremos R$ 525,90. Claro que neste cálculo desprezamos uma série de fatores que não foram levados em conta. Mas, só para você ter uma ideia como isso funciona.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 19. Não havendo acordo, o locador ou locatário, após três anos de vigência do contrato ou do acordo anteriormente realizado, poderão pedir revisão judicial do aluguel, a fim de ajustálo ao preço de mercado.

Como eu posso saber se já está na hora de fazer uma avaliação a preço de mercado?

Você deve ter um administrador para os contratos e para seus imóveis. Locação não é brincadeira. Você não pode negligenciar a renda do seu patrimônio. Você precisa de alguém que cuide de cada detalhe. Não basta conseguir um inquilino que pague em dia se o seu imóvel está sendo desvalorizado todos os dias! Agora veja se é o seu caso:

Período Meses de Contrato Indexador
NOV/15 – OUT/16 12 meses INÍCIO DE CONTRATO
NOV/16 –OUT/17 24 meses IGPM/FGV
NOV/17 – OUT/18 36 meses IGPM/FGV
NOV/18 – OUT/19 12 meses Valor de Mercado
ATENÇÃO!!!

Tanto o proprietário como a administradora da locação do imóvel, devem enviar um aviso com até 30 dias de antecedência ao inquilino e ao seu fiador comunicando a forma do reajuste que será adotado. Procure desenvolver um calendário de compromissos com os contratos e a locação. Para a Data Base: OUTUBRO, este aviso deverá ser feito até dia 30 de Setembro! Neste prazo o inquilino e seu fiador poderão:

  1. aceitar esta proposta de continuidade com o reajuste proposto, ou
  2. apresentar uma contra-proposta, ou
  3. negar a proposta escolhendo sair do imóvel em até 30 dias após o término do contrato.

Você poderá baixar um modelo de aviso: COMUNICADO DE REAJUSTE ANUAL DO ALUGUEL

Se você precisa alugar, então, consulte os imóveis que temos para locação! Aqui

AVALIAÇÃO IMOBILIÁRIA

Neste momento de reajuste, o proprietário (locador) e o inquilino (locatário) contratam um corretor de imóveis avaliador para lhes apresentar uma avaliação do imóvel no VALOR DE MERCADO, bem como o valor de mercado para a locação do imóvel em referência. A avaliação imobiliária custa em torno de 3% do valor do imóvel. Será gerado um documento sob a responsabilidade do corretor de imóveis perito avaliador credenciado, por isso é cobrado honorário por este serviço.

Solicite um orçamento na DERVILLE Imóveis – atendemos Curitiba e Região. Conheça os nossos serviços na Administração da Locação do seu imóvel DERVILLE IMÓVEIS – Avaliação Imobiliária Se você mora em Curitiba/PR ou Região Metropolitana ou São Paulo/SP ou Região Metropolitana, solicite um orçamento para avaliação do seu imóvel:

Se tiver alguma dúvida, agora você poderá contratar seu cálculo personalizado por R$ 87,00 (Oitenta e sete Reais). Com as seguintes orientações:

  • Conheça seu contrato
  • Planilha de controle de aluguel
  • Reajuste do seu aluguel
  • Respondendo suas dúvidas

Preencha este formulário:

DERVILLE Imóveis

(41) 99178-6464 – Vivo

(41) 99822-3411 – Tim WathsApp Telegram

Skype: derville.imoveis | derville@dervilleimoveis.com.br

DERVILLE IMÓVEIS Vende Apartamento

Apartamento no Conjunto Novo Mundo com 1 vaga de garagem

Apartamento no Conjunto Novo Mundo. Apartamento 3 dormitórios (1 vaga de estacionamento), Novo Mundo, Curitiba/PR à venda na DERVILLE Imóveis (41) 99822 3411 Whatsapp.

Derville imóveis vende apartamento no Conjunto Novo Mundo com suite

Na DERVILLE imóveis você encontra para comprar Apartamento reformado no Conjunto Novo Mundo com suite, 3 dormitórios (1 vaga), Novo Mundo, Curitiba/PR.

Apartamento 3 dormitórios (1 vaga), pronto para morar. Quitado. Pode ser financiado pelo seu banco.

Localização

Região que se valoriza a cada dia. Próximo de tudo: creches, escolas (particulares, estaduais e municipais), cursos, faculdades, comércio em geral na Av. República Argentina, cartórios (Portão, Novo Mundo, Pinheirinho), farmácias, postos de saúde, hospitais (particulares ou públicos), clínicas, dentistas, padarias, restaurantes, açougues, mercados e supermercados, shoppings (Popular, Ventura ou Palladium). Vale a pena conferir.

Agende sua visita agora mesmo pelo telefone (41) 99822-3411 Whatsapp ou por email: derville@dervilleimoveis.com.br

DERVILLE IMÓVEIS Vende Apartamento no Novo Mundo

Apartamento no Conjunto Novo Mundo com 1 vaga de garagem

Apartamento no Conjunto Novo Mundo. Apartamento 3 dormitórios (1 vaga de estacionamento), Novo Mundo, Curitiba/PR à venda na DERVILLE Imóveis (41) 99822 3411 Whatsapp.

Apartamento reformado no Conjunto Novo Mundo com suite

Na DERVILLE imóveis você encontra para comprar Apartamento reformado no Conjunto Novo Mundo com suite, 3 dormitórios (1 vaga), Novo Mundo, Curitiba/PR.

Apartamento 3 dormitórios (1 vaga), pronto para morar. Quitado. Pode ser financiado pelo seu banco.

Localização

Região que se valoriza a cada dia. Próximo de tudo: creches, escolas (particulares, estaduais e municipais), cursos, faculdades, comércio em geral na Av. República Argentina, cartórios (Portão, Novo Mundo, Pinheirinho), farmácias, postos de saúde, hospitais (particulares ou públicos), clínicas, dentistas, padarias, restaurantes, açougues, mercados e supermercados, shoppings (Popular, Ventura ou Palladium). Vale a pena conferir.

Agende sua visita agora mesmo pelo telefone (41) 99822-3411 Whatsapp ou por email: derville@dervilleimoveis.com.br

Reajuste de aluguel de Outubro de 2018 pelo IGP-M de Setembro de 2018

IGP-M de Setembro de 2018

IGP-M de Setembro de 2018 para reajustar seu aluguel de Outubro/2018

CALCULAR O REAJUSTE ANUAL DO SEU ALUGUEL DE Outubro DE 2018 COM O IGP-M DE Setembro DE 2018, PASSO-A-PASSO

Neste mês o índice ultrapassa os 10% no reajuste.. Porque a maioria não sabe como funciona um contrato de aluguel. Por isso, resolvi escrever esta explicação para cada mês. Escrito de uma forma didática, passo-a-passo para facilitar a sua compreensão, com gráficos, imagens e vídeos. E, mesmo assim, se houver dúvida, preencha o formulário no final desta publicação.

Para isso, algumas informações importantes serão utilizadas a principal para este passo-a-passo é o indexador IGP-M. Ele foi publicado no final de Setembro, por isso, chamado de IGP-M de Setembro de 2018, publicado pela FGV Fundação Getúlio Vargas. Vamos lhe ajudar, neste passo-a-passo, a solucionar o cálculo do reajuste do seu aluguel e todos os procedimentos necessários, tanto para o inquilino (LOCATÁRIO), como para o proprietário (LOCADOR).

PERGUNTAS FREQUENTES DOS LEITORES

  • Quando fazer o reajuste do seu aluguel? Descubra primeiro qual é a sua data base ou aniversário do seu contrato para fazer o reajuste
  • Todo inicio de ano eu tenho que ajustar os alugueis? Não! O reajuste se faz anualmente na sua data base ou seja no aniversário do seu contrato
  • Como fazer o reajuste do seu aluguel? Você vai multiplicar o índice IGP-M pelo seu aluguel e depois você soma o resultado ao aluguel, isso, uma vez por ano, na data base ou seja no aniversário do seu contrato
  • O que pode e o que não pode fazer no reajuste do seu aluguel? No passo-a-passo você aprender como isso funciona

Então, vamos esclarecer …

Não importa em que dia do mês seu contrato iniciou, O que importa é o mês que iniciou. Que neste caso, é Outubro! Qualquer que seja o dia, sempre será o mês que vai validar!

Apenas mudar de ano, ou seja, passar de um ano civil para o outro, não autoriza aumentar ou diminuir seu aluguel. Ele permanece com o mesmo valor todos meses. Cada mês que vence você paga o mesmo valor do primeiro mês até o último mês do contrato de 12 meses. Ou seja, até o dia da renovação.

Vamos supor que meu contrato iniciou em Outubro de 2017, agora em Outubro de 2018 ele será alterado através da renovação de contrato.

E o índice utilizado para essa renovação será IGP-M de Setembro de 2018!

Todos os meses, no final de cada mês, a FGV Fundação Getúlio Vargas publica os resultados de vários índices que compõem o IGP-M. Isto não significa que seu aluguel será corrigido todos meses, gerando assim, cada mês um valor de aluguel diferente. Não! Significa apenas que durante esse período que você está alugando, naquele mês algo aconteceu com a economia que gerou inflação, ou seja, seu dinheiro ficou “barato”, e daí você vai precisar de mais dinheiro para pagar as mesmas coisas. Ou, se, houve uma deflação, que é quando seu dinheiro ficou mais “caro”, ou melhor, você precisa de pouco dinheiro para comprar as mesmas coisas.

Um ano, 12 meses, é muito tempo. Muitas coisas podem acontecer. Então, prevalece calcular o seu reajuste ao término dos 12 meses. Assim, se faz o reajuste utilizando o IGP-M dos últimos 12 meses, o seu valor acumulado em 12 meses. Neste caso foi “negativo” IGP-M de Setembro de 2018 é de + 0,1004.

Atualizando suas informações

Vamos identificar o que já descobrimos sobre seu contrato até agora:

Data do início do Contrato: Outubro
Data do fim do Contrato: Setembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Setembro de 2018

Uma vez que você já saiba qual é o período do seu contrato, ou seja, início e fim, inicia em Outubro de cada ano, e termina em Setembro de cada ano, agora você precisa saber sobre o INDEXADOR. Normalmente o indexador mais usado para contratos de aluguel tanto residencial como comercial é o IGP-M Índice Geral de Preços – Mercado, que é publicado pela FGV Fundação Getúlio Vargas nos últimos dias de Setembro. Para este mês usaremos IGP-M de Setembro de 2018.

INDEXADOR: IGP-M

Quando o seu contrato possui uma referência, ou seja, um indexador, tal como o IGP-M/FGV, fica mais fácil para calcular o reajuste. Basta multiplicar o valor acumulado dos últimos 12 meses. Desta vez utilizaremos o IGP-M de Setembro de 2018.

Por que reajustar o aluguel?

Mas, por que é preciso reajustar seu aluguel? O reajuste faz com que o aluguel não fique defasado diante da inflação ou deflação.

Atenção! Este é apenas um exemplo, o cálculo deste mês está a baixo, certo??

Saiba a diferença entre inflação e deflação:

  • Na inflação, você precisará de mais dinheiro para pagar o mesmo valor (poder de compra) do início do contrato que firmou. Por exemplo, seu aluguel no início era R$ 500,00, depois de 12 meses, a inflação acumulada em 12 meses atingiu +10%, ou seja, para pagar o mesmo valor inicial, será preciso mais dinheiro. Veja, você vai precisar de mais R$ 50,00 (10%). Então, seu aluguel de R$ 500,00 passará para R$ 550,00;
  • Já, na deflação, você precisará de menos dinheiro (o seu dinheiro valorizou, você terá mais pode de compra). Por exemplo, seu aluguel no início era R$ 500,00, depois de 12 meses, a inflação acumulada em 12 meses atingiu 10%, ou seja, para pagar o mesmo valor inicial, será preciso menos dinheiro. Veja, você vai precisar de menos R$ 50,00 (10%). Então, seu aluguel de R$ 500,00 passará para R$ 450,00

Deixe seu imóvel sob a administração da DERVILLE Imóveis solicite um orçamento para derville@dervilleimoveis.com.br.


PRIMEIRO PASSO! IGP-M de Setembro de 2018: Descobrir a sua data base para fazer o reajuste anual no tempo certo

Observe atentamente de acordo com a data que inicia o seu contrato de aluguel:

Data Base: JANEIRO

Data do inicio do Contrato: Janeiro
Data do fim do Contrato: Dezembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Dezembro

JANEIRO 2014 | JANEIRO 2015 | JANEIRO 2016 | JANEIRO 2017 | JANEIRO 2018

Data Base: FEVEREIRO

Data do inicio do Contrato: Fevereiro
Data do fim do Contrato: Janeiro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Janeiro

FEVEREIRO 2014 | FEVEREIRO 2015 | FEVEREIRO 2016 | FEVEREIRO 2017 | FEVEREIRO 2018

Data Base: MARÇO

Data do inicio do Contrato: Março
Data do fim do Contrato: Fevereiro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Fevereiro

MARÇO 2014 | MARÇO 2015 | MARÇO 2016 | MARÇO 2017 | MARÇO 2018

Data Base: ABRIL

Data do inicio do Contrato: Abril
Data do fim do Contrato: Março
Índice a ser utilizado: IGP-M de Março

ABRIL 2014 | ABRIL 2015 | ABRIL 2016 | ABRIL 2017 | ABRIL 2018

Data Base: MAIO

Data do inicio do Contrato: Maio
Data do fim do Contrato: Abril
Índice a ser utilizado: IGP-M de Abril

MAIO 2014 | MAIO 2015 | MAIO 2016 | MAIO 2017 | MAIO 2018

Data Base: JUNHO

Data do inicio do Contrato: Junho
Data do fim do Contrato: Maio
Índice a ser utilizado: IGP-M de Maio

JUNHO 2014 | JUNHO 2015 | JUNHO 2016 | JUNHO 2017 | JUNHO 2018

Data Base: JULHO

Data do inicio do Contrato: Julho
Data do fim do Contrato: Junho
Índice a ser utilizado: IGP-M de Junho

JULHO 2014 | JULHO 2015 | JULHO 2016 | JULHO 2017 | JULHO 2018

Data Base: AGOSTO

Data do inicio do Contrato: Agosto
Data do fim do Contrato: Julho
Índice a ser utilizado: IGP-M de Julho

AGOSTO 2014 | AGOSTO 2015 | AGOSTO 2016 | AGOSTO 2017 | AGOSTO 2018

Data Base: SETEMBRO

Data do inicio do Contrato: Setembro
Data do fim do Contrato: Agosto
Índice a ser utilizado: IGP-M de Agosto

SETEMBRO 2014 | SETEMBRO 2015 | SETEMBRO 2016 | SETEMBRO 2017 | SETEMBRO 2018

Data Base: OUTUBRO

Data do inicio do Contrato: Outubro
Data do fim do Contrato: Setembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Setembro

OUTUBRO 2014 | OUTUBRO 2015 | OUTUBRO 2016 | OUTUBRO 2017 | OUTUBRO 2018

Data Base: NOVEMBRO

Data do inicio do Contrato: Novembro
Data do fim do Contrato: Outubro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Outubro

NOVEMBRO 2014 | NOVEMBRO 2015 | NOVEMBRO 2016 | NOVEMBRO 2017 | NOVEMBRO 2018

Data Base: DEZEMBRO

Data do inicio do Contrato: Dezembro
Data do fim do Contrato: Novembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Novembro

DEZEMBRO 2014 | DEZEMBRO 2015 | DEZEMBRO 2016 | DEZEMBRO 2017 | DEZEMBRO 2018


SEGUNDO PASSO: IGP-M de Setembro de 2018

As vantagens aumentam quando as informações são precisas. Quando as orientações profissionais dinamizam suas decisões. Portanto, trabalhar com a DERVILLE Imóveis torna-se um grande passo para o sucesso nos seus negócios imobiliários.

IGP-M de Setembro de 2018: O REAJUSTE ANUAL DO SEU ALUGUEL PARA CONTRATOS FIRMADOS EM OUTUBRO

Todos os meses, nos seus últimos dias, são publicados as informações do boletim da IBRE/FGV sobre o indexador “O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) da Fundação Getulio Vargas (FGV) variou 1,52% em setembro, ante 0,70% no mês anterior. Com este resultado, o índice acumula alta de 8,29% no ano e de 10,04% em 12 meses. Em setembro de 2017, o índice havia subido 0,47% e acumulava queda de 1,45% em 12 meses.”

Depois desta informação, o que você deve fazer?

O primeiro é entender os tipos de reajustes para o seu aluguel tanto residencial como comercial!

TIPOS DE REAJUSTES DE ALUGUEL

Antes de conhecer os tipos de reajustes permitidos, observe os tipos que são PROIBIDOS:

  • É PROIBIDO reajustar seu aluguel pela variação cambial de uma moeda estrangeira;
  • É PROIBIDO reajustar seu aluguel com base no salário mínimo.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 17. É livre a convenção do aluguel, vedada a sua estipulação em moeda estrangeira e a sua vinculação à variação cambial ou ao salário mínimo.

Os reajustes para a locação são dois tipos:

  1. REAJUSTE ANUAL (para manter o poder de compra, em função da inflação ou deflação do período contratado, para tanto, usa-se um indexador – geralmente o IGP-M)
  2. REAJUSTE TRI-ANUAL (para assegurar a proporção da “renda” em função do valor de mercado do imóvel locado – que gira em torno de 0,5% a 1,1% para os imóveis residenciais)

Na hora de compor o contrato de locação tanto o Locador (Proprietário ou responsável pelo imóvel) como o Locatário (Inquilino) deverão escolher, de comum acordo, a forma que será estabelecida no que se refere aos reajustes durante o contrato ou na sua renovação anual. Por isso, não pode ficar mudando os detalhes durante o contrato firmado! Alguns escolhem pôr em seus contratos: “no maior índice” ou ainda uma relação de índices para serem escolhidos na hora do reajuste. Tudo isso leva a nulidade do contrato.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 18. É lícito às partes fixar, de comum acordo, novo valor para o aluguel, bem como inserir ou modificar cláusula de reajuste.

IGP-M de Setembro de 2018: Reajuste anual

Este reajuste é para manter o poder de compra em função da inflação ou deflação do período do contratoIGP-M de Setembro de 2018

Este reajuste ocorre uma vez por ano no mês de aniversário do seu contrato ou DATA BASE.

Lembre-se que você mora 30 dias, depois paga pelo período que morou.

NÃO pode pagar para morar!

A Lei do Inquilinato é clara em dizer que você mora e depois paga pelo uso.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 43. Constitui contravenção penal, punível com prisão simples de cinco dias a seis meses ou multa de três a doze meses do valor do último aluguel atualizado, revertida em favor do locatário:
I – exigir, por motivo de locação ou sublocação, quantia ou valor além do aluguel e encargos permitidos;
II – exigir, por motivo de locação ou sublocação, mais de uma modalidade de garantia num mesmo contrato de locação;
III – cobrar antecipadamente o aluguel, salvo a hipótese do art. 42 e da locação para temporada.

Na maioria dos contratos de locação, tanto residencial como comercial, o IGP-M é o indexador mais utilizado, pois é o que mais reflete a variação econômica para este segmento.

VAMOS CALCULAR COM O IGP-M DE SETEMBRO DE 2018: CONTRATOS FIRMADOS EM OUTUBRO

Portanto, para os contratos firmados em Outubro de cada ano, serão feitos os seguintes cálculos:

  • Data do inicio do Contrato: Outubro
  • Data do fim do Contrato: Setembro
  • Índice a ser utilizado: IGP-M de Setembro de 2018
  • Data Base (Aniversário) do Contrato: Outubro/2017
  • Data de Reajuste do Contrato: Outubro/2018
  • Data do Vencimento do Aluguel reajustado: 05/Novembro/2018 (pode ser outra data em Novembro/2018 – será a data que você vai pagar o aluguel)
  • Aluguel Atual: R$ 500 (EXEMPLO)
  • IGP-M acumulado nos últimos 12 meses: + 10,04% (em decimais + 0,1004
Passo-a-passo o cálculo
A) TRANSFORME A PORCENTAGEM EM DECIMAL
0,1004 dividido por 100 = 0,1004
B) MULTIPLIQUE PELO ALUGUEL
R$ 500 x 0,1004 = + R$ 50,20
C) AGORA SOME O ALUGUEL + REAJUSTE
R$ 500 R$ 50,20 = R$ 550,20

Portanto, o aluguel reajustado passará de R$ 500 para R$ 550,20 mensais para o período de Outubro/2018 a Setembro/2019, sendo o seu primeiro vencimento em Novembro/2018. Você está utilizando o IGP-M de Setembro de 2018!


NÃO SE ESQUEÇA DO RECIBO!!!

Quanto ao recibo de pagamento do aluguel Aluguel pago, gera-se um recibo por parte do Locador.

Isto é obrigatório!!!!.
LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 44. Constitui crime de ação pública, punível com detenção de três meses
a um ano, que poderá ser substituída pela prestação de serviços à comunidade:
I – recusar se o locador ou sublocador, nas habitações coletivas multifamiliares, a fornecer recibo discriminado do aluguel e encargos

Reajuste tri-anual para assegurar a proporção do aluguel com o valor do imóvel

Outro reajuste é pelo valor de mercado que ocorre a cada 36 meses de contrato.

Como funciona

Entendendo que a cada 3 (três) anos ou 36 (trinta e seis) meses, muitas coisas podem mudar. Inflação ou deflação na economia. Quando a inflação ocorre, você vai precisar de mais dinheiro para comprar a mesma coisa que você comprava antes, então o preço sobe. Mas, se houver deflação, ocorrerá o contrário, o dinheiro valoriza, e com pouco dinheiro você comprará a mesma coisa, então os preços abaixam.

Faça o cálculo

Se você é proprietário de um imóvel e pretende ter renda com a locação então você deverá fazer um cálculo sobre o preço atual do seu imóvel. Vamos supor que seu imóvel valha em torno de R$ 105.180,00 e você pretenda ter uma renda de 0,5% (meio por cento) mensal. Num cálculo simples, teremos R$ 525,90. Claro que neste cálculo desprezamos uma série de fatores que não foram levados em conta. Mas, só para você ter uma ideia como isso funciona.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 19. Não havendo acordo, o locador ou locatário, após três anos de vigência do contrato ou do acordo anteriormente realizado, poderão pedir revisão judicial do aluguel, a fim de ajustálo ao preço de mercado.

Como eu posso saber se já está na hora de fazer uma avaliação a preço de mercado?

Você deve ter um administrador para os contratos e para seus imóveis. Locação não é brincadeira. Você não pode negligenciar a renda do seu patrimônio. Você precisa de alguém que cuide de cada detalhe. Não basta conseguir um inquilino que pague em dia se o seu imóvel está sendo desvalorizado todos os dias! Agora veja se é o seu caso:

Período Meses de Contrato Indexador
OUT/15 – SET/16 12 meses INÍCIO DE CONTRATO
OUT/16 –SET/17 24 meses IGPM/FGV
OUT/17 – SET/18 36 meses IGPM/FGV
OUT/18 – SET/19 12 meses Valor de Mercado
ATENÇÃO!!!

Tanto o proprietário como a administradora da locação do imóvel, devem enviar um aviso com até 30 dias de antecedência ao inquilino e ao seu fiador comunicando a forma do reajuste que será adotado. Procure desenvolver um calendário de compromissos com os contratos e a locação. Para a Data Base: SETEMBRO, este aviso deverá ser feito até dia 30 de Agosto! Neste prazo o inquilino e seu fiador poderão:

  1. aceitar esta proposta de continuidade com o reajuste proposto, ou
  2. apresentar uma contra-proposta, ou
  3. negar a proposta escolhendo sair do imóvel em até 30 dias após o término do contrato.

Você poderá baixar um modelo de aviso: COMUNICADO DE REAJUSTE ANUAL DO ALUGUEL

Se você precisa alugar, então, consulte os imóveis que temos para locação! Aqui

AVALIAÇÃO IMOBILIÁRIA

Neste momento de reajuste, o proprietário (locador) e o inquilino (locatário) contratam um corretor de imóveis avaliador para lhes apresentar uma avaliação do imóvel no VALOR DE MERCADO, bem como o valor de mercado para a locação do imóvel em referência. A avaliação imobiliária custa em torno de 3% do valor do imóvel. Será gerado um documento sob a responsabilidade do corretor de imóveis perito avaliador credenciado, por isso é cobrado honorário por este serviço.

Solicite um orçamento na DERVILLE Imóveis – atendemos Curitiba e Região. Conheça os nossos serviços na Administração da Locação do seu imóvel DERVILLE IMÓVEIS – Avaliação Imobiliária Se você mora em Curitiba/PR ou Região Metropolitana ou São Paulo/SP ou Região Metropolitana, solicite um orçamento para avaliação do seu imóvel:

Se tiver alguma dúvida, agora você poderá contratar seu cálculo personalizado por R$ 87,00 (Oitenta e sete Reais). Com as seguintes orientações:

  • Conheça seu contrato
  • Planilha de controle de aluguel
  • Reajuste do seu aluguel
  • Respondendo suas dúvidas

Preencha este formulário:

DERVILLE Imóveis

(41) 99178-6464 – Vivo WathsApp Telegram

(41) 99822-3411 – Tim WathsApp Telegram

Skype: derville.imoveis | derville@dervilleimoveis.com.br

Reajuste de aluguel de Setembro de 2018 pelo IGP-M de Agosto de 2018

IGP-M de Setembro de 2018

IGP-M de Agosto de 2018 para reajustar seu aluguel de Setembro/2018

CALCULAR O REAJUSTE ANUAL DO SEU ALUGUEL DE Setembro DE 2018 COM O IGP-M DE Agosto DE 2018, PASSO-A-PASSO

Tudo indica que ainda este ano o IGP-M irá atingir ou até superar 10%.. Porque a maioria não sabe como funciona um contrato de aluguel. Por isso, resolvi escrever esta explicação para cada mês. Escrito de uma forma didática, passo-a-passo para facilitar a sua compreensão, com gráficos, imagens e vídeos. E, mesmo assim, se houver dúvida, preencha o formulário no final desta publicação.

Para isso, algumas informações importantes serão utilizadas a principal para este passo-a-passo é o indexador IGP-M. Ele foi publicado no final de Agosto, por isso, chamado de IGP-M de Agosto de 2018, publicado pela FGV Fundação Getúlio Vargas. Vamos lhe ajudar, neste passo-a-passo, a solucionar o cálculo do reajuste do seu aluguel e todos os procedimentos necessários, tanto para o inquilino (LOCATÁRIO), como para o proprietário (LOCADOR).

PERGUNTAS FREQUENTES DOS LEITORES

  • Quando fazer o reajuste do seu aluguel? Descubra primeiro qual é a sua data base ou aniversário do seu contrato para fazer o reajuste
  • Todo inicio de ano eu tenho que ajustar os alugueis? Não! O reajuste se faz anualmente na sua data base ou seja no aniversário do seu contrato
  • Como fazer o reajuste do seu aluguel? Você vai multiplicar o índice IGP-M pelo seu aluguel e depois você soma o resultado ao aluguel, isso, uma vez por ano, na data base ou seja no aniversário do seu contrato
  • O que pode e o que não pode fazer no reajuste do seu aluguel? No passo-a-passo você aprender como isso funciona

Então, vamos esclarecer …

Não importa em que dia do mês seu contrato iniciou, O que importa é o mês que iniciou. Que neste caso, é Setembro! Qualquer que seja o dia, sempre será o mês que vai validar!

Apenas mudar de ano, ou seja, passar de um ano civil para o outro, não autoriza aumentar ou diminuir seu aluguel. Ele permanece com o mesmo valor todos meses. Cada mês que vence você paga o mesmo valor do primeiro mês até o último mês do contrato de 12 meses. Ou seja, até o dia da renovação.

Vamos supor que meu contrato iniciou em Setembro de 2017, agora em Setembro de 2018 ele será alterado através da renovação de contrato.

E o índice utilizado para essa renovação será IGP-M de Agosto de 2018!

Todos os meses, no final de cada mês, a FGV Fundação Getúlio Vargas publica os resultados de vários índices que compõem o IGP-M. Isto não significa que seu aluguel será corrigido todos meses, gerando assim, cada mês um valor de aluguel diferente. Não! Significa apenas que durante esse período que você está alugando, naquele mês algo aconteceu com a economia que gerou inflação, ou seja, seu dinheiro ficou “barato”, e daí você vai precisar de mais dinheiro para pagar as mesmas coisas. Ou, se, houve uma deflação, que é quando seu dinheiro ficou mais “caro”, ou melhor, você precisa de pouco dinheiro para comprar as mesmas coisas.

Um ano, 12 meses, é muito tempo. Muitas coisas podem acontecer. Então, prevalece calcular o seu reajuste ao término dos 12 meses. Assim, se faz o reajuste utilizando o IGP-M dos últimos 12 meses, o seu valor acumulado em 12 meses. Neste caso foi “negativo” IGP-M de Agosto de 2018 é de + 8,89%.

Atualizando suas informações

Vamos identificar o que já descobrimos sobre seu contrato até agora:

Data do início do Contrato: Setembro
Data do fim do Contrato: Agosto
Índice a ser utilizado: IGP-M de Agosto de 2018

Uma vez que você já saiba qual é o período do seu contrato, ou seja, início e fim, inicia em Setembro de cada ano, e termina em Agosto de cada ano, agora você precisa saber sobre o INDEXADOR. Normalmente o indexador mais usado para contratos de aluguel tanto residencial como comercial é o IGP-M Índice Geral de Preços – Mercado, que é publicado pela FGV Fundação Getúlio Vargas nos últimos dias de Agosto. Para este mês usaremos IGP-M de Agosto de 2018.

INDEXADOR: IGP-M

Quando o seu contrato possui uma referência, ou seja, um indexador, tal como o IGP-M/FGV, fica mais fácil para calcular o reajuste. Basta multiplicar o valor acumulado dos últimos 12 meses. Desta vez utilizaremos o IGP-M de Agosto de 2018.

Por que reajustar o aluguel?

Mas, por que é preciso reajustar seu aluguel? O reajuste faz com que o aluguel não fique defasado diante da inflação ou deflação.

Atenção! Este é apenas um exemplo, o cálculo deste mês está a baixo, certo??

Saiba a diferença entre inflação e deflação:

  • Na inflação, você precisará de mais dinheiro para pagar o mesmo valor (poder de compra) do início do contrato que firmou. Por exemplo, seu aluguel no início era R$ 500,00, depois de 12 meses, a inflação acumulada em 12 meses atingiu +10%, ou seja, para pagar o mesmo valor inicial, será preciso mais dinheiro. Veja, você vai precisar de mais R$ 50,00 (10%). Então, seu aluguel de R$ 500,00 passará para R$ 550,00;
  • Já, na deflação, você precisará de menos dinheiro (o seu dinheiro valorizou, você terá mais pode de compra). Por exemplo, seu aluguel no início era R$ 500,00, depois de 12 meses, a inflação acumulada em 12 meses atingiu 10%, ou seja, para pagar o mesmo valor inicial, será preciso menos dinheiro. Veja, você vai precisar de menos R$ 50,00 (10%). Então, seu aluguel de R$ 500,00 passará para R$ 450,00

Deixe seu imóvel sob a administração da DERVILLE Imóveis solicite um orçamento para derville@dervilleimoveis.com.br.


PRIMEIRO PASSO! IGP-M de Agosto de 2018: Descobrir a sua data base para fazer o reajuste anual no tempo certo

Observe atentamente de acordo com a data que inicia o seu contrato de aluguel:

Data Base: JANEIRO

Data do inicio do Contrato: Janeiro
Data do fim do Contrato: Dezembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Dezembro

JANEIRO 2014 | JANEIRO 2015 | JANEIRO 2016 | JANEIRO 2017 | JANEIRO 2018

Data Base: FEVEREIRO

Data do inicio do Contrato: Fevereiro
Data do fim do Contrato: Janeiro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Janeiro

FEVEREIRO 2014 | FEVEREIRO 2015 | FEVEREIRO 2016 | FEVEREIRO 2017 | FEVEREIRO 2018

Data Base: MARÇO

Data do inicio do Contrato: Março
Data do fim do Contrato: Fevereiro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Fevereiro

MARÇO 2014 | MARÇO 2015 | MARÇO 2016 | MARÇO 2017 | MARÇO 2018

Data Base: ABRIL

Data do inicio do Contrato: Abril
Data do fim do Contrato: Março
Índice a ser utilizado: IGP-M de Março

ABRIL 2014 | ABRIL 2015 | ABRIL 2016 | ABRIL 2017 | ABRIL 2018

Data Base: MAIO

Data do inicio do Contrato: Maio
Data do fim do Contrato: Abril
Índice a ser utilizado: IGP-M de Abril

MAIO 2014 | MAIO 2015 | MAIO 2016 | MAIO 2017 | MAIO 2018

Data Base: JUNHO

Data do inicio do Contrato: Junho
Data do fim do Contrato: Maio
Índice a ser utilizado: IGP-M de Maio

JUNHO 2014 | JUNHO 2015 | JUNHO 2016 | JUNHO 2017 | JUNHO 2018

Data Base: JULHO

Data do inicio do Contrato: Julho
Data do fim do Contrato: Junho
Índice a ser utilizado: IGP-M de Junho

JULHO 2014 | JULHO 2015 | JULHO 2016 | JULHO 2017 | JULHO 2018

Data Base: AGOSTO

Data do inicio do Contrato: Agosto
Data do fim do Contrato: Julho
Índice a ser utilizado: IGP-M de Julho

AGOSTO 2014 | AGOSTO 2015 | AGOSTO 2016 | AGOSTO 2017 | AGOSTO 2018

Data Base: SETEMBRO

Data do inicio do Contrato: Setembro
Data do fim do Contrato: Agosto
Índice a ser utilizado: IGP-M de Agosto

SETEMBRO 2014 | SETEMBRO 2015 | SETEMBRO 2016 | SETEMBRO 2017 | SETEMBRO 2018

Data Base: OUTUBRO

Data do inicio do Contrato: Outubro
Data do fim do Contrato: Setembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Setembro

OUTUBRO 2014 | OUTUBRO 2015 | OUTUBRO 2016 | OUTUBRO 2017 | OUTUBRO 2018

Data Base: NOVEMBRO

Data do inicio do Contrato: Novembro
Data do fim do Contrato: Outubro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Outubro

NOVEMBRO 2014 | NOVEMBRO 2015 | NOVEMBRO 2016 | NOVEMBRO 2017 | NOVEMBRO 2018

Data Base: DEZEMBRO

Data do inicio do Contrato: Dezembro
Data do fim do Contrato: Novembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Novembro

DEZEMBRO 2014 | DEZEMBRO 2015 | DEZEMBRO 2016 | DEZEMBRO 2017 | DEZEMBRO 2018


SEGUNDO PASSO: IGP-M de Agosto de 2018

As vantagens aumentam quando as informações são precisas. Quando as orientações profissionais dinamizam suas decisões. Portanto, trabalhar com a DERVILLE Imóveis torna-se um grande passo para o sucesso nos seus negócios imobiliários.

IGP-M de Agosto de 2018: O REAJUSTE ANUAL DO SEU ALUGUEL PARA CONTRATOS FIRMADOS EM SETEMBRO

Todos os meses, nos seus últimos dias, são publicados as informações do boletim da IBRE/FGV sobre o indexador “O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) subiu 0,70%, em agosto, contra 0,51% em julho. Com este resultado, o índice acumula alta de 6,66% no ano e de 8,89% em 12 meses.”

Depois desta informação, o que você deve fazer?

O primeiro é entender os tipos de reajustes para o seu aluguel tanto residencial como comercial!

TIPOS DE REAJUSTES DE ALUGUEL

Antes de conhecer os tipos de reajustes permitidos, observe os tipos que são PROIBIDOS:

  • É PROIBIDO reajustar seu aluguel pela variação cambial de uma moeda estrangeira;
  • É PROIBIDO reajustar seu aluguel com base no salário mínimo.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 17. É livre a convenção do aluguel, vedada a sua estipulação em moeda estrangeira e a sua vinculação à variação cambial ou ao salário mínimo.

Os reajustes para a locação são dois tipos:

  1. REAJUSTE ANUAL (para manter o poder de compra, em função da inflação ou deflação do período contratado, para tanto, usa-se um indexador – geralmente o IGP-M)
  2. REAJUSTE TRI-ANUAL (para assegurar a proporção da “renda” em função do valor de mercado do imóvel locado – que gira em torno de 0,5% a 1,1% para os imóveis residenciais)

Na hora de compor o contrato de locação tanto o Locador (Proprietário ou responsável pelo imóvel) como o Locatário (Inquilino) deverão escolher, de comum acordo, a forma que será estabelecida no que se refere aos reajustes durante o contrato ou na sua renovação anual. Por isso, não pode ficar mudando os detalhes durante o contrato firmado! Alguns escolhem pôr em seus contratos: “no maior índice” ou ainda uma relação de índices para serem escolhidos na hora do reajuste. Tudo isso leva a nulidade do contrato.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 18. É lícito às partes fixar, de comum acordo, novo valor para o aluguel, bem como inserir ou modificar cláusula de reajuste.

IGP-M de Agosto de 2018: Reajuste anual

Este reajuste é para manter o poder de compra em função da inflação ou deflação do período do contratoIGP-M de Agosto de 2018

Este reajuste ocorre uma vez por ano no mês de aniversário do seu contrato ou DATA BASE.

Lembre-se que você mora 30 dias, depois paga pelo período que morou.

NÃO pode pagar para morar!

A Lei do Inquilinato é clara em dizer que você mora e depois paga pelo uso.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 43. Constitui contravenção penal, punível com prisão simples de cinco dias a seis meses ou multa de três a doze meses do valor do último aluguel atualizado, revertida em favor do locatário:
I – exigir, por motivo de locação ou sublocação, quantia ou valor além do aluguel e encargos permitidos;
II – exigir, por motivo de locação ou sublocação, mais de uma modalidade de garantia num mesmo contrato de locação;
III – cobrar antecipadamente o aluguel, salvo a hipótese do art. 42 e da locação para temporada.

Na maioria dos contratos de locação, tanto residencial como comercial, o IGP-M é o indexador mais utilizado, pois é o que mais reflete a variação econômica para este segmento.

VAMOS CALCULAR COM O IGP-M DE AGOSTO DE 2018: CONTRATOS FIRMADOS EM SETEMBRO

Portanto, para os contratos firmados em Setembro de cada ano, serão feitos os seguintes cálculos:

  • Data do inicio do Contrato: Setembro
  • Data do fim do Contrato: Agosto
  • Índice a ser utilizado: IGP-M de Agosto de 2018
  • Data Base (Aniversário) do Contrato: Setembro/2017
  • Data de Reajuste do Contrato: Setembro/2018
  • Data do Vencimento do Aluguel reajustado: 05/Outubro/2018 (pode ser outra data em Outubro/2018 – será a data que você vai pagar o aluguel)
  • Aluguel Atual: R$ 500 (EXEMPLO)
  • IGP-M acumulado nos últimos 12 meses: + 8,89% (em decimais + 0,0889
Passo-a-passo o cálculo
A) TRANSFORME A PORCENTAGEM EM DECIMAL
8,89% dividido por 100 = 0,0889
B) MULTIPLIQUE PELO ALUGUEL
R$ 500 x 8,89% = + R$ 44,45
C) AGORA SOME O ALUGUEL + REAJUSTE
R$ 500 R$ 44,45 = R$ 544,45

Portanto, o aluguel reajustado passará de R$ 500 para R$ 544,45 mensais para o período de Setembro/2018 a Agosto/2019, sendo o seu primeiro vencimento em Outubro/2018. Você está utilizando o IGP-M de Agosto de 2018!


NÃO SE ESQUEÇA DO RECIBO!!!

Quanto ao recibo de pagamento do aluguel Aluguel pago, gera-se um recibo por parte do Locador.

Isto é obrigatório!!!!.
LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 44. Constitui crime de ação pública, punível com detenção de três meses
a um ano, que poderá ser substituída pela prestação de serviços à comunidade:
I – recusar se o locador ou sublocador, nas habitações coletivas multifamiliares, a fornecer recibo discriminado do aluguel e encargos

Reajuste tri-anual para assegurar a proporção do aluguel com o valor do imóvel

Outro reajuste é pelo valor de mercado que ocorre a cada 36 meses de contrato.

Como funciona

Entendendo que a cada 3 (três) anos ou 36 (trinta e seis) meses, muitas coisas podem mudar. Inflação ou deflação na economia. Quando a inflação ocorre, você vai precisar de mais dinheiro para comprar a mesma coisa que você comprava antes, então o preço sobe. Mas, se houver deflação, ocorrerá o contrário, o dinheiro valoriza, e com pouco dinheiro você comprará a mesma coisa, então os preços abaixam.

Faça o cálculo

Se você é proprietário de um imóvel e pretende ter renda com a locação então você deverá fazer um cálculo sobre o preço atual do seu imóvel. Vamos supor que seu imóvel valha em torno de R$ 105.180,00 e você pretenda ter uma renda de 0,5% (meio por cento) mensal. Num cálculo simples, teremos R$ 525,90. Claro que neste cálculo desprezamos uma série de fatores que não foram levados em conta. Mas, só para você ter uma ideia como isso funciona.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18 DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 19. Não havendo acordo, o locador ou locatário, após três anos de vigência do contrato ou do acordo anteriormente realizado, poderão pedir revisão judicial do aluguel, a fim de ajustálo ao preço de mercado.

Como eu posso saber se já está na hora de fazer uma avaliação a preço de mercado?

Você deve ter um administrador para os contratos e para seus imóveis. Locação não é brincadeira. Você não pode negligenciar a renda do seu patrimônio. Você precisa de alguém que cuide de cada detalhe. Não basta conseguir um inquilino que pague em dia se o seu imóvel está sendo desvalorizado todos os dias! Agora veja se é o seu caso:

Período Meses de Contrato Indexador
SET/15 – AGO/16 12 meses INÍCIO DE CONTRATO
SET/16 –AGO/17 24 meses IGPM/FGV
SET/17 – AGO/18 36 meses IGPM/FGV
SET/18 – AGO/19 12 meses Valor de Mercado
ATENÇÃO!!!

Tanto o proprietário como a administradora da locação do imóvel, devem enviar um aviso com até 30 dias de antecedência ao inquilino e ao seu fiador comunicando a forma do reajuste que será adotado. Procure desenvolver um calendário de compromissos com os contratos e a locação. Para a Data Base: AGOSTO, este aviso deverá ser feito até dia 30 de Julho! Neste prazo o inquilino e seu fiador poderão:

  1. aceitar esta proposta de continuidade com o reajuste proposto, ou
  2. apresentar uma contra-proposta, ou
  3. negar a proposta escolhendo sair do imóvel em até 30 dias após o término do contrato.

Você poderá baixar um modelo de aviso: COMUNICADO DE REAJUSTE ANUAL DO ALUGUEL

Se você precisa alugar, então, consulte os imóveis que temos para locação! Aqui

AVALIAÇÃO IMOBILIÁRIA

Neste momento de reajuste, o proprietário (locador) e o inquilino (locatário) contratam um corretor de imóveis avaliador para lhes apresentar uma avaliação do imóvel no VALOR DE MERCADO, bem como o valor de mercado para a locação do imóvel em referência. A avaliação imobiliária custa em torno de 3% do valor do imóvel. Será gerado um documento sob a responsabilidade do corretor de imóveis perito avaliador credenciado, por isso é cobrado honorário por este serviço.

Solicite um orçamento na DERVILLE Imóveis – atendemos Curitiba e Região. Conheça os nossos serviços na Administração da Locação do seu imóvel DERVILLE IMÓVEIS – Avaliação Imobiliária Se você mora em Curitiba/PR ou Região Metropolitana ou São Paulo/SP ou Região Metropolitana, solicite um orçamento para avaliação do seu imóvel:

Se tiver alguma dúvida, agora você poderá contratar seu cálculo personalizado por R$ 87,00 (Oitenta e sete Reais). Com as seguintes orientações:

  • Conheça seu contrato
  • Planilha de controle de aluguel
  • Reajuste do seu aluguel
  • Respondendo suas dúvidas

Preencha este formulário:

DERVILLE Imóveis

(41) 99178-6464 – Vivo WathsApp Telegram

(41) 99822-3411 – Tim WathsApp Telegram

Skype: derville.imoveis | derville@dervilleimoveis.com.br