Mobilidade Urbana

Na Avaliação Imobiliária um dos fatores a ser considerado é a mobilidade urbana. Para tanto, basta ler o que os governos em suas devidas escalas, se preocupam e investem.

Confira:

Ministro afirma que investir em mobilidade urbana é garantir a qualidade de vida da população

 Fonte: Assessoria de Comunicação Social, Ministério das Cidades

O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, disse nesta sexta-feira (17/01), durante o anúncio de R$ 2,55 bilhões para mobilidade urbana em Minas Gerais, que as obras são decisivas para a saúde da população por amenizarem o estresse sofrido pela população nos transportes públicos lotados e longos engarrafamentos.  “Quando se trata de mobilidade, estamos tratando da qualidade de vida das pessoas”, disse Aguinaldo Ribeiro.

Os recursos são do Pacto da Mobilidade Urbana, lançado pela presidenta em junho de 2013, que destinou R$ 50 bilhões para investimentos no setor. Do total de R$ 2,55 bilhões para Minas Gerais, R$ 1,284 bilhão são do Orçamento Geral da União (OGU) e R$ 1,271 bilhão de financiamento público com juros subsidiados.

Segundo o ministro, os recursos serão destinados à obras, como corredores exclusivos de ônibus, trem metropolitanos e metrô, que funcionarão de forma integrada. “Este é um esforço do Governo Federal para investir em transporte público de qualidade”, disse o ministro.

Para viabilizar as obras de mobilidade urbana, disse o ministro, é importante a parceria entre o Governo Federal, estadual e municipal por conta do volume de recursos.  “Essas parcerias são republicanas. É um tema que a presidenta Dilma considera importante porque há muito tempo não se investia em mobilidade urbana no país”, observou.

Em seu discurso, a presidenta Dilma Rousseff, disse que durante o seu governo, elevou os investimentos em mobilidade urbana. Nos últimos quatro anos, o Governo Federal investiu R$ 140 bilhões nestas obras, sendo que a maior parte são recursos do OGU e de financiamento público com juros subsidiados.

A presidenta também lembrou que o seu governo melhorou as condições dos empréstimos federais com o aumento do prazo de carência e de pagamento, que passou de sete anos para 30 anos. “Esse é o único jeito para que os estados e municípios possam investir. Ninguém investe em metrô e acha que o projeto vai se pagar em cinco anos”, afirmou.

Para o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, os investimentos em mobilidade urbana ajudaram a enfrentar os problemas do trânsito e do transporte na cidade. “Mobilidade urbana leva ao progresso”, finalizou.

Confira aqui mais detalhes sobre os investimentos e obras

Deixe uma resposta