Reajuste de aluguel de Dezembro de 2016 pelo IGP-M de Novembro de 2016

IGP-M de Novembro de 2016 para reajustar seu aluguel de Dezembro/2016

CALCULAR O REAJUSTE ANUAL DO SEU ALUGUEL DE DEZEMBRO DE 2016 PASSO-A-PASSO

Foi publicado o IGP-M de NOVEMBRO de 2016 pela IBRE/FGV. Vamos lhe ajudar, neste passo-a-passo, a solucionar o calculo do reajuste do seu aluguel.

PERGUNTAS DOS LEITORES

  • Quando fazer o reajuste do seu aluguel? Descubra primeiro qual é a sua data base ou aniversário do seu contrato para fazer o reajuste
  • Todo inicio de ano eu tenho que ajustar os alugueis? Não! O reajuste se faz anualmente na sua data base ou seja no aniversário do seu contrato
  • Como fazer o reajuste do seu aluguel? Você vai multiplicar o índice IGP-M pelo seu aluguel e depois você soma o resultado ao aluguel, isso, uma vez por ano, na data base ou seja no aniversário do seu contrato
  • O que pode e o que não pode fazer no reajuste do seu aluguel? No passo-a-passo você aprender como isso funciona

Quando o seu contrato possui uma referência, ou seja um indexador, tal como o IGP-M/FGV, fica mais fácil reajustar.

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=rWYiWeA13HM[/embedyt]

O reajuste faz com que o aluguel não fique defasado diante da inflação ou deflação. Saiba a diferença:

  • Na inflação, você precisará de mais dinheiro para pagar o mesmo valor (poder de compra) do início do contrato que firmou.
  • Na deflação, você precisará de menos dinheiro (o seu dinheiro valorizou, você terá mais pode de compra).

Deixe seu imóvel sob a administração da DERVILLE Imóveis solicite um orçamento.


PRIMEIRO PASSO! IGP-M de Novembro de 2016: Descobrir a sua data base para fazer o reajuste anual no tempo certo

Observe atentamente de acordo com a data que inicia o seu contrato de aluguel:

Data Base: JANEIRO

Data do inicio do Contrato: Janeiro
Data do fim do Contrato: Dezembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Dezembro

JANEIRO 2014 | JANEIRO 2015 | JANEIRO 2016 | JANEIRO 2017 | JANEIRO 2018

Data Base: FEVEREIRO

Data do inicio do Contrato: Fevereiro
Data do fim do Contrato: Janeiro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Janeiro

FEVEREIRO 2014 | FEVEREIRO 2015 | FEVEREIRO 2016 | FEVEREIRO 2017 | FEVEREIRO 2018

Data Base: MARÇO

Data do inicio do Contrato: Março
Data do fim do Contrato: Fevereiro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Fevereiro

MARÇO 2014 | MARÇO 2015 | MARÇO 2016 | MARÇO 2017 | MARÇO 2018

Data Base: ABRIL

Data do inicio do Contrato: Abril
Data do fim do Contrato: Março
Índice a ser utilizado: IGP-M de Março

ABRIL 2014 | ABRIL 2015 | ABRIL 2016 | ABRIL 2017 | ABRIL 2018

Data Base: MAIO

Data do inicio do Contrato: Maio
Data do fim do Contrato: Abril
Índice a ser utilizado: IGP-M de Abril

MAIO 2014 | MAIO 2015 | MAIO 2016 | MAIO 2017 | MAIO 2018

Data Base: JUNHO

Data do inicio do Contrato: Junho
Data do fim do Contrato: Maio
Índice a ser utilizado: IGP-M de Maio

JUNHO 2014 | JUNHO 2015 | JUNHO 2016 | JUNHO 2017 | JUNHO 2018

Data Base: JULHO

Data do inicio do Contrato: Julho
Data do fim do Contrato: Junho
Índice a ser utilizado: IGP-M de Junho

JULHO 2014 | JULHO 2015 | JULHO 2016 | JULHO 2017 | JULHO 2018

Data Base: AGOSTO

Data do inicio do Contrato: Agosto
Data do fim do Contrato: Julho
Índice a ser utilizado: IGP-M de Julho

AGOSTO 2014 | AGOSTO 2015 | AGOSTO 2016 | AGOSTO 2017 | AGOSTO 2018

Data Base: SETEMBRO

Data do inicio do Contrato: Setembro
Data do fim do Contrato: Agosto
Índice a ser utilizado: IGP-M de Agosto

SETEMBRO 2014 | SETEMBRO 2015 | SETEMBRO 2016 | SETEMBRO 2017 | SETEMBRO 2018

Data Base: OUTUBRO

Data do inicio do Contrato: Outubro
Data do fim do Contrato: Setembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Setembro

OUTUBRO 2014 | OUTUBRO 2015 | OUTUBRO 2016 | OUTUBRO 2017 | OUTUBRO 2018

Data Base: NOVEMBRO

Data do inicio do Contrato: Novembro
Data do fim do Contrato: Outubro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Outubro

NOVEMBRO 2014 | NOVEMBRO 2015 | NOVEMBRO 2016 | NOVEMBRO 2017 | NOVEMBRO 2018

Data Base: DEZEMBRO

Data do inicio do Contrato: Dezembro
Data do fim do Contrato: Novembro
Índice a ser utilizado: IGP-M de Novembro

DEZEMBRO 2014 | DEZEMBRO 2015 | DEZEMBRO 2016 | DEZEMBRO 2017 | DEZEMBRO 2018


SEGUNDO PASSO: IGP-M de Novembro de 2016

As vantagens aumentam quando as informações são precisas. Quando as orientações profissionais dinamizam suas decisões. Portanto, trabalhar com a DERVILLE Imóveis torna-se um grande passo para o sucesso nos seus negócios imobiliários.

IGP-M DE NOVEMBRO DE 2016: O REAJUSTE ANUAL DO SEU ALUGUEL PARA CONTRATOS FIRMADOS EM NOVEMBRO

Olá! Todos os meses, nos seus últimos dias, são publicados as informações do boletim da IBRE/FGV sobre o indexador “O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) registrou variação de -0,03%, em novembro. Em outubro, o índice variou 0,16%. Em novembro de 2015, a variação foi de 1,52%. A variação acumulada em 2016, até novembro, é de 6,60%. Em 12 meses, o IGP-M registrou alta de 7,12%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem de outubro para novembro: IPA, de 0,15% para -0,16%, IPC, de 0,17% para 0,26%. O INCC repetiu a taxa do mês anterior, 0,17% .”

Depois desta informação, o que você deve fazer?

O primeiro é entender os tipos de reajustes para o seu aluguel tanto residencial como comercial!

TIPOS DE REAJUSTES DE ALUGUEL

Antes de conhecer os tipos de reajustes permitidos, observe os tipos que são PROIBIDOS:

  • É PROIBIDO reajustar seu aluguel pela variação cambial de uma moeda estrangeira;
  • É PROIBIDO reajustar seu aluguel com base no salário mínimo.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18  DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 17. É livre a convenção do aluguel, vedada a sua estipulação em moeda estrangeira e a sua vinculação à variação cambial ou ao salário mínimo.
Os reajustes para a locação são dois tipos:

  1. REAJUSTE ANUAL (para manter o poder de compra, em função da inflação ou deflação do período contratado, para tanto, usa-se um indexador – geralmente o IGP-M)
  2. REAJUSTE TRI-ANUAL (para assegurar a proporção da “renda” em função do valor de mercado do imóvel locado – que gira em torno de 0,5% a 1,0% para os residenciais)

Na hora de compor o contrato de locação tanto o Locador (Proprietário ou responsável pelo imóvel) como o Locatário (Inquilino) deverão escolher, de comum acordo, a forma que será estabelecida no que se refere aos reajustes durante o contrato ou na sua renovação anual. Por isso, não pode ficar mudando os detalhes durante o contrato firmado! Alguns escolhem pôr em seus contratos: “no maior índice” ou ainda uma relação de índices para serem escolhidos na hora do reajuste. Tudo isso leva a nulidade do contrato.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18  DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 18. É lícito às partes fixar, de comum acordo, novo valor para o aluguel, bem como inserir ou modificar cláusula de reajuste.

IGP-M de Outubro de 2016: Reajuste anual

Este reajuste é para manter o poder de compra em função da inflação ou deflação do período do contratoaniversarioEste reajuste ocorre uma vez por ano no mês de aniversário do seu contrato ou DATA BASE. Lembre-se que você mora 30 dias, depois paga pelo período que morou. NÃO pode pagar para morar! A Lei do Inquilinato é clara em dizer que você mora e depois paga pelo uso.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18  DE OUTUBRO DE 1991)

Art. 43. Constitui contravenção penal, punível com prisão simples de cinco dias a seis meses ou multa de três a doze meses do valor do último aluguel atualizado, revertida em favor do locatário:
I – exigir, por motivo de locação ou sublocação, quantia ou valor além do aluguel e encargos permitidos;
II – exigir, por motivo de locação ou sublocação, mais de uma modalidade de garantia num mesmo contrato de locação;
III – cobrar antecipadamente o aluguel, salvo a hipótese do art. 42 e da locação para temporada.

Na maioria dos contratos de locação, tanto residencial como comercial, o IGP-M é o indexador mais utilizado, pois é o que mais reflete a variação econômica para este segmento.

VAMOS CALCULAR COM O IGP-M de NOVEMBRO de 2016: CONTRATOS FIRMADOS EM DEZEMBRO

Portanto, para os contratos firmados em DEZEMBRO de cada ano, serão feitos os seguintes cálculos:

  • Data Base (Aniversário) do Contrato: DEZEMBRO/2015
  • Data de Reajuste do Contrato: DEZEMBRO/2016
  • Data do Vencimento do Aluguel reajustado: 05/JAN/2017 (pode ser outra data em JANEIRO/2017 – será a data que você vai pagar o aluguel)
  • Aluguel Atual: R$ 500,00
  • IGP-M acumulado nos últimos 12 meses: 7,12% (em decimais 0,0712)
Passo-a-passo o cálculo
A) TRANSFORME A PORCENTAGEM EM DECIMAL
7,127% dividido por 100 = 0,0712
B) MULTIPLIQUE PELO ALUGUEL
R$ 500,00 x 0,0712 = R$ 35,60
C) AGORA SOME O ALUGUEL + REAJUSTE
R$ 500,00 + R$ 35,60 = R$ 535,60

Portanto, o aluguel reajustado passará de R$ 500,00 para R$ 535,60 mensais para o período de DEZEMBRO/2016 a NOVEMBRO/2017, sendo o seu primeiro vencimento em JANEIRO/2017.


NÃO SE ESQUEÇA DO RECIBO!!!

Quanto ao recibo de pagamento do aluguel Aluguel pago, gera-se um recibo por parte do Locador.

Isto é obrigatório!!!!.
LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18  DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 44. Constitui crime de ação pública, punível com detenção de três meses
a um ano, que poderá ser substituída pela prestação de serviços à comunidade:
I – recusar se o locador ou sublocador, nas habitações coletivas multifamiliares, a fornecer recibo discriminado do aluguel e encargos

Reajuste tri-anual para assegurar a proporção do aluguel com o valor do imóvel

Outro reajuste é pelo valor de mercado que ocorre a cada 36 meses de contrato.

Como funciona

Entendendo que a cada 3 anos ou 36 meses, muitas coisas podem mudar. Inflação ou deflação na economia. Quando a inflação ocorre, você vai precisar de mais dinheiro para comprar a mesma coisa que você comprava antes, então o preço sobe. Mas, se houver deflação, ocorrerá o contrário, o dinheiro valoriza, e com pouco dinheiro você comprará a mesma coisa, então os preços abaixam.

Faça o cálculo

Se você é proprietário de um imóvel e pretende ter renda com a locação então você deverá fazer um cálculo sobre o preço atual do seu imóvel. Vamos supor que seu imóvel valha em torno de R$ 105.180,00 e você pretenda ter uma renda de 0,5% (meio por cento) mensal. Num cálculo simples, teremos R$ 525,90. Claro que neste cálculo desprezamos uma série de fatores que não foram levados em conta. Mas, só para você ter uma ideia como isso funciona.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18  DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 19. Não havendo acordo, o locador ou locatário, após três anos de vigência do contrato ou do acordo anteriormente realizado, poderão pedir revisão judicial do aluguel, a fim de ajustálo ao preço de mercado.

Como eu posso saber se já está na hora de fazer uma avaliação a preço de mercado?

Você deve ter um administrador para os contratos e para seus imóveis. Locação não é brincadeira. Você não pode negligenciar a renda do seu patrimônio. Você precisa de alguém que cuide de cada detalhe. Não basta conseguir um inquilino que pague em dia se o seu imóvel está sendo desvalorizado todos os dias! Agora veja se é o seu caso:

Período Meses de Contrato Indexador
DEZ/13 – NOV/14 12 meses INÍCIO DE CONTRATO
DEZ/14 – NOV/15 24 meses IGPM/FGV
DEZ/15 – NOV/16 36 meses IGPM/FGV
DEZ/16 – NOV/17 12 meses Valor de Mercado
ATENÇÃO!!!

Tanto o proprietário como a administradora da locação do imóvel, devem enviar um aviso com até 30 dias de antecedência ao inquilino e ao seu fiador comunicando a forma do reajuste que será adotado. Procure desenvolver um calendário de compromissos com os contratos e a locação. Para a Data Base: DEZEMBRO, este aviso deverá ser feito até dia 30 de OUTUBRO! Neste prazo o inquilino e seu fiador poderão:

  1. aceitar esta proposta de continuidade com o reajuste proposto, ou
  2. apresentar uma contra-proposta, ou
  3. negar a proposta escolhendo sair do imóvel em até 30 dias após o término do contrato.

Você poderá baixar um modelo de aviso: COMUNICADO DE REAJUSTE ANUAL DO ALUGUEL

Se você precisa alugar, então, consulte os imóveis que temos para locação! Aqui

AVALIAÇÃO IMOBILIÁRIA

Neste momento de reajuste, o proprietário (locador) e o inquilino (locatário) contratam um corretor de imóveis avaliador para lhes apresentar uma avaliação do imóvel no VALOR DE MERCADO, bem como o valor de mercado para a locação do imóvel em referência. A avaliação imobiliária custa em torno de 3% do valor do imóvel. Será gerado um documento sob a responsabilidade do corretor de imóveis perito avaliador credenciado, por isso é cobrado honorário por este serviço.

Solicite um orçamento na DERVILLE Imóveis – atendemos Curitiba e Região. Conheça os nossos serviços na Administração da Locação do seu imóvel DERVILLE IMÓVEIS – Avaliação Imobiliária Se você mora em Curitiba/PR ou Região Metropolitana, solicite um orçamento para avaliação do seu imóvel:

Abaixo vc encontrará um tabela completa que lhe será útil. Se vc tiver alguma dúvida, me escreva! ok? DERVILLE Imóveis (41) 9178-6464 – Vivo | (41) 9822-3411 – Tim WathsApp | Skype: derville.imoveis | avaliacao@dervilleimoveis.com.br


IGP-M: Tabela Histórica

Apartamento com 3 dormitórios no Novo Mundo: Em busca de conforto!? A alimentação fora do lar

Apartamento com 3 dormitórios no Novo Mundo: Em busca de conforto!? A alimentação fora do lar

Você está em busca de conforto? As palavras que mais se ouve, de quem quer morar bem são: conforto, segurança e localização! Um dos hábitos da maioria das famílias é a alimentação fora do lar. E, a resposta para quem escolheu morar no bairro Novo Mundo, em Curitiba, PR, é o Centro Habitacional Novo Mundo. São apartamentos compostos de sala ampla e bem iluminada, cozinha integrada com área de serviço, três dormitórios e banheiro. Se você pensa em aliemntação fora lar, saiba que o condomínio é cercado por restaurantes, bares, churrascarias, padarias, docerias, lanchonetes, espaços gourmet, pizzarias, sorveterias, rotisserias, praças de alimentação, etc.. Com uma ou mais vaga de estacionamento coberto ou descoberto. Tudo isso em 74 m² de área privativa, e 91 m² de área total. Alguns apartamentos transformaram o hall do banheiro em um segundo banheiro, e o banheiro principal em suíte. Outros, abriram as paredes da cozinha, tornando-a em cozinha americana. Porque a alimentação fora do lar propicia trazer alimentos pré cozidos e congelados. Assim a refeição do dia-a-dia poderá ser feita tanto em casa como fora dela.. Isto porque o layout destes apartamentos permite muita flexibilidade para sua criatividade!

Agora o nosso convite é para que você venha conhecer o seu futuro endereço!

Aqui você encontra algumas sugestões: Para Alugar

Aluga R$ 1.250 (Com Condomínio) Apartamento | 3 Dorm | 3º andar (4º Pavimento) | 1 vaga coberta | Face Leste
Aluga R$ 1.250 (Com Condomínio) Apartamento | 3 Dorm | 3º andar (4º Pavimento) | 1 vaga estacionamento | Face Leste
Aluga R$ 1.250 (Com Condomínio) Apartamento | 3 Dorm | 2º andar (3º Pavimento) | 1 vaga estacionamento | Face Leste

Aqui você encontra algumas sugestões: Para você comprar

À Venda R$ 230.000 Apartamento | 3 Dorm (1 suite) | 1º andar (2º Pavimento) | 1 vaga estacionamento | Face Leste
À Venda R$ 230.000 Apartamento | 3 Dorm | 2º andar (3º Pavimento) | 1 vaga estacionamento | Face Oeste
À Venda R$ 235.000 Apartamento | 2 Dorm | 3º andar (4º Pavimento) | 1 vaga coberta | Face Oeste
À Venda R$ 230.000 Apartamento | 3 Dorm | 3º andar (4º Pavimento) | 1 vaga estacionamento | Face Leste
À Venda R$ 230.000 Apartamento | 3 Dorm | 3º andar (4º Pavimento) | 1 vaga coberta | Face Leste

Em busca de conforto! A alimentação fora do lar é essencial.

Então? Você ficou interessado? Nos mande seu nome, telefone de contato e seu melhor email e qual é o seu interesse: comprar, vender, permutar ou alugar! E, em breve faremos contato!

Notícias: Crédito imobiliário da CAIXA tem novas taxas

08/11/2016 17h00 - Atualizado em 08/11/2016 17h27

Crédito imobiliário da CAIXA tem novas taxas

As medidas atingem tanto o crédito Pessoa Física, dentro dos limites do SBPE, como financiamento Pessoa Jurídica

A Caixa Econômica Federal anunciou, nesta terça-feira (8), a redução da taxa de juros para pessoa física e pessoa jurídica, além da diminuição da cota mínima de financiamento dentro do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

Todos os clientes pessoa física que financiarem imóveis novos ou usados, enquadrados no SBPE, terão redução linear de 0,25 p.p., independente do relacionamento com o banco.

Para clientes que adquirirem imóveis novos ou na planta, cuja construção tenha sido financiada pela CAIXA, e fizerem a opção de receber o salário pela CAIXA, o banco irá oferecer taxas de juros especiais, iguais às oferecidas aos servidores públicos. As taxas de juros passariam, nesse caso, de 11,22% a.a para 9,75% a.a, no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 12,5% a.a para 10,75% a.a, para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). Veja tabela abaixo:

Tabela elaborada pela Agência de Notícias da Caixa
Tabela elaborada pela Agência de Notícias da Caixa

As medidas são reflexo da diminuição da taxa SELIC, anunciada recentemente pelo Banco Central. O objetivo é contribuir para alavancagem de vendas de imóveis novos de construtoras parceiras e, consequentemente, atrair novos clientes para a instituição, com condições especiais no crédito imobiliário.

A CAIXA disponibilizou R$ 93 bilhões para o crédito habitacional, neste ano, e já aplicou R$ 66,2 bilhões. A expectativa é aplicar R$ 26,8 bilhões até o final do ano.

Apoio à Construção Civil:

Para o segmento Pessoa Jurídica, a CAIXA reduziu a taxa de juros em 1 p.p., em todas as faixas de relacionamento. As taxas para Micro e Pequenas Empresas (MPE) cairão de 14% para 13%, e para Médias e Grandes Empresas (MGE) de 13,5% para 12,5%.

O banco implantou também o sistema de taxa segregada por rating, para o segmento corporativo, que visa beneficiar as empresas com alto índice de relacionamento com a CAIXA. Com a medida, a redução de juros, de acordo com o relacionamento, pode chegar até 1,5 p.p. Para empresas com rating A, a taxa deve variar de 12,5% para 11%. Para empresas com rating B e C, as taxas mínimas chegarão, respectivamente, a 11,5% e 12%.

Para imóveis enquadrados no SFI, o banco modificou a remuneração do Correspondente CAIXA Aqui (exceto repasses), padronizando em 1% o valor do financiamento, com limite de R$ 2 mil nas operações do FGTS e sem limite para o SBPE.

A CAIXA ainda realizou uma série de ajustes para empresa que pretendem financiar a construção de empreendimentos pelo banco (Apoio à Produção), dentro do SBPE.
• Elevação do prazo do produto para até 36 meses
• Concessão de carência pós-obra de 12 meses
• Utilização da tabela Price nos contratos de produção
• Possibilidade de acréscimo de 25% sobre a obra a executar

Diminuição do valor mínimo de financiamento dentro do SBPE

Além da redução de juros e taxa especial, a CAIXA promoveu melhoria de condições no financiamento de imóveis para pessoa física. O limite mínimo de financiamento no SBPE passou de R$ 100 mil para R$ 80 mil. A medida busca atender o mercado de unidades habitacionais nessas faixas e vale para imóveis novos e usados, dentro do SFH e SFI.

O limite do SFH para imóvel residencial é R$ 650 mil, para todo país, exceto para Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, onde é de R$ 750 mil. Os imóveis residenciais acima dos limites do SFH são enquadrados no SFI.

A CAIXA tem participação de 66,9% no mercado imobiliário e permanece líder nesse segmento.

Agência Caixa de Notícias
Fonte: caixa.gov.br/agenciacaixadenoticias| @imprensacaixa | imprensa@caixa.gov.br