Reajuste de aluguel de Agosto pelo IGP-M de Julho de 2015

CALCULAR O REAJUSTE ANUAL DO SEU ALUGUEL – IGP-M DE JULHO DE 2015

IGP-M DE JULHO DE 2015: Mensalmente calculamos com você o reajuste mensal do seu aluguel. Pois, a maior dificuldade é determinar o quanto o seu aluguel será corrigido. Quando o seu contrato possui uma referência, ou seja um indexador, tal como o IGP-M/FGV, fica mais fácil reajustar. Quando fazer o reajuste do seu aluguel? Como fazer o reajuste do seu aluguel? O que pode e o que não pode fazer no reajuste do seu aluguel? Deixe seu imóvel na DERVILLE Imóveis tanto para vender como para alugar.



As vantagens aumentam quando as informações são precisas. Quando as orientações profissionais dinamizam suas decisões. Portanto, trabalhar com a DERVILLE Imóveis torna-se um grande passo para o sucesso nos seus negócios imobiliários.

O REAJUSTE ANUAL DO SEU ALUGUEL – IGP-M DE JULHO DE 2015

Olá! Todos os meses, nos seus últimos dias, são publicados as informações do boletim da IBRE/FGV sobre o indexador “Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) registrou variação de 0,69%, em julho. Em junho, o índice variou 0,67%. Em julho de 2014, a variação foi de -0,61%. A variação acumulada em 2015, até julho, é de 5,05%. Em 12 meses, o IGP-M registrou alta de 6,97%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem de junho para julho: IPA, de 0,41% para 0,73%, IPC, de 0,83% para 0,60%, e INCC, de 1,87% para 0,66%. Depois desta informação, o que você deve fazer? O primeiro passo é entender os tipos de reajustes para o seu aluguel!

TIPOS DE REAJUSTES DE ALUGUEL

Antes de conhecer os tipos de reajustes permitidos, observe os tipos que são PROIBIDOS:

  • É PROIBIDO reajustar seu aluguel pela variação cambial de uma moeda estrangeira;
  • É PROIBIDO reajustar seu aluguel com base no salário mínimo.
LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18  DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 17. É livre a convenção do aluguel,
vedada a sua estipulação em moeda estrangeira
e a sua vinculação à variação cambial
ou ao salário mínimo.

Os reajustes para a locação são dois tipos:

  1. REAJUSTE ANUAL (para manter o poder de compra, em função da inflação ou deflação do período contratado, para tanto, usa-se um indexador – geralmente o IGP-M)
  2. REAJUSTE TRI-ANUAL (para assegurar a proporção da “renda” em função do valor de mercado do imóvel locado – que gira em torno de 0,5% a 1,0% para os residenciais)

Na hora de compor o contrato de locação tanto o Locador (Proprietário ou responsável pelo imóvel) como o Locatário (Inquilino) deverão escolher, de comum acordo, a forma que será estabelecida no que se refere aos reajustes durante o contrato ou na sua renovação anual. Por isso, não pode ficar mudando os detalhes durante o contrato firmado! Alguns escolhem pôr em seus contratos: “no maior índice” ou ainda uma relação de índices para serem escolhidos na hora do reajuste. Tudo isso leva a nulidade do contrato.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18  DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 18. É lícito às partes fixar, de comum acordo,
novo valor para o aluguel, bem como inserir ou modificar
cláusula de reajuste.

1. Reajuste anual

Este reajuste é para manter o poder de compra em função da inflação ou deflação do período do contrato aniversarioEste reajuste ocorre uma vez por ano no mês de aniversário do seu contrato ou DATA BASE. Lembre-se que você mora 30 dias, depois paga pelo período que morou. NÃO pode pagar para morar! A Lei do Inquilinato é clara em dizer que você mora e depois paga pelo uso.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18  DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 43. Constitui contravenção penal,
punível com prisão simples de cinco dias a seis meses ou
multa de três a doze meses do valor do último aluguel atualizado,
revertida em favor do locatário:
I - exigir, por motivo de locação ou sublocação, quantia ou valor além do aluguel
e encargos permitidos;
II - exigir, por motivo de locação ou sublocação, mais de uma modalidade de garantia
num mesmo contrato de locação;
III - cobrar antecipadamente o aluguel, salvo a hipótese do art. 42 e
da locação para temporada.

Na maioria dos contratos de locação, tanto residencial como comercial, o IGP-M é o indexador mais utilizado, pois é o que mais reflete a variação econômica para este segmento.

VAMOS CALCULAR?

Portanto, para os contratos firmados em AGOSTO de cada ano, será feito o seguinte cálculo:

  • Data Base (Aniversário) do Contrato:AGOSTO/2014
  • Data de Reajuste do Contrato:AGOSTO/2015
  • Data do Vencimento do Aluguel reajustado: 05/SET/2014
  • (pode ser outra data em SETEMBRO/2014 – será a data que você vai pagar o aluguel)
  • Aluguel: R$ 500,00 (por exemplo)
  • IGP-M acumulado nos últimos 12 meses: 6,97% (em decimais 0,0697)
Passo-a-passo o cálculo
A) TRANSFORME A PORCENTAGEM EM DECIMAL
6,97(%) dividido por 100 = 0,0697
B) MULTIPLIQUE PELO ALUGUEL
R$ 500,00 x 0,0697 = R$ 34,85
C) AGORA SOME O ALUGUEL + REAJUSTE
R$ 500,00 + R$ 34,85 = R$ 534,85

Portanto, o aluguel reajustado passará de R$ 500,00 a R$ 534,85 mensais para o período de AGOSTO/2015 a JULHO/2016, sendo o seu primeiro vencimento em SETEMBRO/2014.


NÃO SE ESQUEÇA DO RECIBO!!!

Quanto ao recibo de pagamento do aluguel

Aluguel pago, gera-se um recibo por parte do Locador.

Isto é obrigatório!!!!.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18  DE OUTUBRO DE 1991)
Art. 44. Constitui crime de ação pública, punível com detenção de três meses
a um ano, que poderá ser substituída pela prestação de serviços à comunidade:
I - recusar-se o locador ou sublocador, nas habitações coletivas multifamiliares,
a fornecer recibo discriminado do aluguel e encargos;

CLIQUE AQUI E CONHEÇA OS IMÓVEIS DISPONÍVEIS PARA VOCÊ ALUGAR NA DERVILLE IMÓVEIS

2. Reajuste tri-anual para assegurar a proporção do aluguel com o valor do imóvel

Outro reajuste é pelo valor de mercado que ocorre a cada 36 meses de contrato.

Como funciona

Entendendo que a cada 3 anos ou 36 meses, muitas coisas podem mudar. Inflação ou deflação na economia. Quando a inflação ocorre, vc vai precisar de mais dinheiro para comprar a mesma coisa que vc comprava antes, então o preço sobe. Mas, se houver deflação, ocorrerá o contrário, o dinheiro valoriza, e com pouco dinheiro vc comprará a mesma coisa, então os preços abaixam.

Faça o cálculo

Se vc é proprietário de um imóvel e pretende ter renda com a locação então vc deverá fazer um cálculo sobre o preço atual do seu imóvel. Vamos supor que seu imóvel valha em torno de R$ 105.180,00 e vc pretenda ter uma renda de 0,5% mensal. Num cálculo simples, teremos R$ 525,90. Claro que neste cálculo desprezamos uma série de fatores que não foram levados em conta. Mas, só para vc ter uma ideia como isso funciona.

LEI DO INQUILINATO (LEI No 8.245, DE 18  DE OUTUBRO DE 1991
Art. 19. Não havendo acordo, o locador ou locatário,
após três anos de vigência do contrato ou do acordo
anteriormente realizado, poderão pedir revisão judicial
do aluguel, a fim de ajustá-lo ao preço de mercado.
Como eu posso saber se já está na hora de fazer uma avaliação a preço de mercado?

Vc deve ter um administrador para os contratos e para seus imóveis. Locação não é brincadeira. Vc não pode negligenciar a renda do seu patrimônio. Vc precisa de alguém que cuide de cada detalhe. Não basta conseguir um inquilino que pague em dia se o seu imóvel está sendo desvalorizado todos os dias! Agora veja se é o seu caso:

Período Meses de Contrato Indexador
AGO/12 – JUL/13 12 meses INÍCIO DE CONTRATO
AGO/13 – JUL/14 24 meses IGPM/FGV
AGO/14 – JUL/15 36 meses IGPM/FGV
AGO/15 – JUL/16 12 meses Valor de Mercado

Tanto o proprietário como a administradora da locação do imóvel, devem enviar um aviso com até 30 dias de antecedência ao inquilino e ao seu fiador comunicando a forma do reajuste que será adotado. Procure desenvolver um calendário de compromissos com os contratos e a locação. Para a Data Base: AGOSTO, este aviso deverá ser feito até dia 30 de JUNHO! Neste prazo o inquilino e seu fiador poderão:

  1. aceitar esta proposta de continuidade, ou
  2. apresentar uma contra-proposta, ou
  3. negar a proposta escolhendo sair do imóvel em até 30 dias após o término do contrato.

Você poderá baixar um modelo de aviso: [Download não encontrado.]

Neste momento de reajuste, o proprietário (locador) e o inquilino (locatário) contratam um corretor de imóveis avaliador para lhes apresentar uma avaliação do imóvel no mercado, bem como o valor de mercado para a locação do imóvel em referência. Será gerado um documento sob a responsabilidade do corretor de imóveis avaliador, por isso é cobrado honorário por este serviço. Solicite um orçamento na DERVILLE Imóveis – atendemos Curitiba e Região. Conheça os nossos serviços na Administração da Locação do seu imóvel DERVILLE IMÓVEIS – Avaliação Imobiliária Se você mora em Curitiba/PR ou Região Metropolitana, solicite um orçamento para avaliação do seu imóvel:

Abaixo vc encontrará um tabela completa que lhe será útil. Se vc tiver alguma dúvida, me escreva! ok? DERVILLE Imóveis (41) 9178-6464 – Vivo | (41) 9822-3411 – Tim WathsApp| (41) 8480-6144 – Oi Skype: derville.imoveis


IGP-M DE JULHO DE 2015: Tabela Histórica

Novas exposições no Museu da Gravura Cidade de Curitiba

principal

Novas exposições ocupam as salas do Museu da Gravura Cidade de Curitiba, no Solar do Barão, a partir do dia 16/07/15. Serão inauguradas três mostras individuais de artistas paranaenses consagrados – Luiz Carlos Rettamozo, Key Imaguire Jr e Maria Lúcia de Júlio –, uma mostra de acervo reunindo obras de Renina Katz, e uma coletiva de sete artistas que respondem à indagação “O Céu é o Limite?” por meio de fotografias, objetos, instalações, performances e videoarte. A inauguração será às 19h e as exposições permanecem em cartaz até 13 de setembro.

Produção multimídia

Na exposição “Quem Tem Q.I. Vai (Solda e Leminski)”, o artista multimídia Luiz Rettamozo apresenta um recorte da sua produção abrangendo diversas fases. O recorte foca dois dos seus principais instrumentos – o fator performático e o fator gráfico numa variedade de manifestações em que o texto poético está presente com muita potência e humor. Essa combinação de fatores fez de Rettamozo um dos artistas precursores do perfil bem contemporâneo do artista polivalente, que atua em várias linguagens simultaneamente. Isso também teve como consequencia as diversas parcerias com artistas importantes que atuam ou atuaram dentro de outras linguagens, como Solda e Paulo Leminski.

Registro histórico

O artista gráfico Key Imaguire Junior apresenta uma série de fotografias dos Encontros de Arte Moderna da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap). Sua preocupação não foi realizar um registro oficial do evento, e sim seguir com liberdade algumas situações de seu interesse, captando momentos e criando novas situações especialmente preparadas para a sua câmera. A participação dele nesses encontros ultrapassa sua interação no tempo real das ações, e traz a carga poética de seu olhar para o presente.

Os Encontros de Arte Moderna eram eventos abrangentes com diversas atividades que aconteciam em vários espaços da cidade, inclusive na própria Embap. As atividades eram propostas por artistas de várias localidades brasileiras e desenvolvidas coletivamente por um público formado por estudantes de diferentes cursos universitários. Promovidos anualmente, os encontros eram organizados pelo diretório acadêmico e a curadoria era da crítica de arte Adalice Araújo, então professora de História da Arte da escola. As imagens desta exposição foram captadas em pelo menos dois encontros, entre 1971 e 1973, e registram personagens e atividades desenvolvidas nos canteiros de obras do Centro Politécnico e da Rodoferroviária de Curitiba.

Ruas da cidade 

A artista plástica Maria Lúcia de Júlio apresenta a exposição “Comprováveis”, que traz uma série de fotografias das ruas de Curitiba, assim como litografias e gravuras em metal. A artista propõe um jogo de identificação. A ideia é descobrir as ruas de Curitiba a partir da troca dos nomes das ruas centrais da cidade por outras ruas da periferia.

Para elaborar a proposta, a artista selecionou algumas ruas mais famosas, mais cuidadas e bonitas da cidade. Para fazer o contraponto também foram escolhidas ruas da periferia de Curitiba. O objetivo da seleçao constrói uma noçao de alteridade e sintetiza dois mundos diferentes em um breve espaço de tempo.

O Céu é o Limite? 

Sete artistas de Curitiba, Florianópolis, Joinville e São Paulo respondem a essa indagação por meio de instalações, fotografias, performance, videoarte, objetos, numa profusão de signos que dialogam com a questão existencial. Os limites entre céu e terra possibilitam inúmeras leituras ressignificadas. Eles ainda questionam: seria essa a função da arte na odisseia contemporânea? Os artista participantes são Cyntia Werner, Franzoi, Isabelle Mesquita, Karina Zen, Priscila dos Anjos, Sérgio Ariano H. e TiroTTi. Os artistas programaram para o dia 13 de setembro, às 15h, um bate-papo com o público. Depois, na presença do público, eles farão a desmontagem da exposição.

Passagem de Tom 

Esse é o título da exposição de obras da artista plástica Renina Katz que pertencem ao acervo do Museu da Gravura. Elas foram reunidas por Priscila Jacewicz e evidenciam a profunda pesquisa da artista no que se refere à busca por tons e semitons, planos, simetrias e assimetrias, revelando sua intensa musicalidade interior.

Artista que se destaca entre os principais gravuristas brasileiros, Renina Katz é uma das cofundadoras do Museu da Gravura Cidade de Curitiba (MGCC), vinculado à Fundação Cultural de Curitiba. As obras apresentadas foram produzidas entre as décadas de 1980 e 1990. São litografias e gravuras em metal doadas à instituição ao longo dos muitos anos nos quais a artista contribuiu com seu conhecimento e sua arte para a formação do museu.

Novas exposições no Museu da Gravura Cidade de Curitiba

Local: Museu da Gravura Cidade de Curitiba (Solar do Barão – R. Carlos Cavalcanti, 533).

Datas e horários: De 16 de julho (abertura às 19h) a 13 de setembro de 2015. De terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h.

Entrada franca

Informações: 3321-3269.

Fonte: Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba

Moradores de áreas de risco assinam contratos para ocupar 127 novas casas no Cachoeira

Moradores de áreas de risco assinam contratos para ocupar 127 novas casas no Cachoeira
14/07/2015 14:29:00

principal

Famílias das vilas Três Pinheiros, no Butiatuvinha, e Parolin, assinaram nesta terça-feira (14) os contratos para aquisição de unidades no Residencial Pinheiros. O conjunto habitacional com 127 unidades foi construído no bairro Cachoeira com recursos do programa Minha Casa Minha Vida. As moradias serão destinadas para moradores em área de risco cadastrados pela Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab).

Do total de unidades, 77 serão ocupadas por moradores da Vila Três Pinheiros e 50 por famílias do Parolin. A primeira fica em uma área de morro e apresenta riscos de deslizamento, em especial quando há fortes chuvas. Já no Parolin, as casas ficam às margens do rio Vila Guaíra.

A assinatura dos contratos é a etapa que antecede o recebimento das chaves dos imóveis. “Com a entrega do Residencial Pinheiros vamos assegurar mais qualidade de vida para estas famílias que se encontram em condições bastante precárias. Elas deixarão para trás as áreas irregulares onde vivem e receberão novas casas em local com toda infraestrutura implantada pelo município”, afirma o presidente da Cohab, Ubiraci Rodrigues.

Um dos beneficiados é o pintor Altamir Domingos, 41 anos. Morador da vila Três Pinheiros há mais de uma década, ele está feliz com a mudança pela qual sua vida vai passar. “Vai ser ótimo morar em um lugar melhor, mais tranquilo. Vou poder viver em segurança e o melhor de tudo é que a casa vai ser em meu nome. De lá ninguém mais me tira”, destaca.

Entre as 127 famílias das duas vilas, o serviço social da companhia detectou a existência de quatro casos de pessoas usuárias de cadeira de rodas. Eles vão morar em casas adaptadas, que contam com rampa de acesso, portas mais largas, espaço interno do banheiro maior, barras de apoio no vaso sanitário e próximas ao chuveiro, pia adaptada sem coluna, tudo para permitir maior independência aos moradores.

Vida nova

A auxiliar de serviços gerais Dilcélia Pires, 32 anos, mora com os três filhos em uma pequena e antiga casa de madeira na vila Parolin. Cansada de viver em beira de rio, ela projeta com satisfação o futuro próximo. “Nem consigo acreditar que o dia da mudança está chegando. Agora que assinei o contrato não tem mais volta, a casa vai ser minha. Tenho certeza de que nossa vida vai melhorar bastante. Morar em uma casa boa sempre foi meu maior sonho”, diz.

Fonte: Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba